segunda-feira, 25 de maio de 2009

The Mod Target

Resolvi antecipar em um dia o post. Estou sem computador em casa, amanhã é feriado aqui na minha cidade, logo estou no computador do trampo e que o meu chefe não veja isso.

O post dessa semana será sobre o Mod Target, o símbolo que indentifica um modernista em qualquer parte da galáxia.

Creio eu que o mod target seja um símbolo pop com grande impacto em níveis de comunicação, pois como já disse, é através dele que um Mod identifica outro em qualquer parte. Porém, se tornou nas mãos de alguns um objeto de arte banalizado e comercial, fazendo com que pretensos modernistas desfilem ostentando o símbolo por aí.

Segundo o Wikipedia, o Roundel, isto é, o Medalhão, em heráldica (a ciência dos brasões) é qualquer forma circular, o termo também é comumente usado para se referir a um tipo de insígnias nacionais utilizados em aeronaves militares, geralmente em forma circular e, geralmente, compreendendo anéis concêntricos de diferentes cores.

Militarmente, os primeiros a usarem o 'target' foram os franceses durante a 1ª Guerra Mundial. Logo após vieram os os britânicos e os norte-americanos, que assim como os já citados franceses usavam o target em suas respectivas cores para diferenciar suas Forças Aéreas.

O target, espcialmente o da Real Força Aérea Britânica, começou a aparecer na década de 1960 em obras do pintor Jasper Johns. O Mod target, como pode ser chamado, se tornou febre depois que o The Who, em início de carreira, passou a usá-lo como símbolo em seu vestuário. Posteriormente, o mod target passou a ser símbolo do modernismo, sendo assim reconhecido no mundo todo.

Vejo vocês na semana que vem.

terça-feira, 12 de maio de 2009

A origem da frase "Keep the faith" e do símbolo do punho fechado no Northern Soul

A pesquisa para este post foi árdua. Espero que todos vocês que ainda têm a paciência de semanalmente ler este blog, possam me ajudar com referências sobre o tópico de hoje e com sugestões de novos assuntos.

A origem da frase "Keep the faith", ou "Mantenha a fé" numa tradução literal é cercada de dúvidas para mim. Uma das poucas coisas que eu tinha certeza antes de pesquisar, era que a frase era diretamente ligada à luta dos direitos civis dos negros norte-americanos. Porém, diretamente ligado ao que chamamos de Soul Music da década de 1960, que era produzido pelo selo musical Tamla-Motown.
Devido a popularidade da Soul Music no norte da Inglaterra nesta década, o termo "Northern Soul" passou a ser diretamente ligado a este ritmo que era popular nos clubes de lá. Logo, não era um soul produzido no norte dos Estados Unidos, e sim, muito popular e apreciado no Norte da Inglaterra.

Dave Godin, o jornalista que cunhou o termo "Northern Soul" explica que a frase Mantenha a Fé foi originada diretamente da luta pelos direitos civis dos negros norte americanos. Isso também vale para o símbolo do punho fechado, que é a saudação Black power dentro dos Panteras Negras. Em um próximo post explicarei a polêmica em torno disso e a direta relação com os jogos olímpicos. Sim, ela existe.

Estes dias, olhando as fotos dos irmãos Gallagher na internet, achei essa foto que me chamou bastante a atenção pelo fato de que Noel está usando uma camiseta com o logo "torch forever", em clara alusão ao Northern Soul. Creio que o termo seja derivado do nome do clube inglês Golden Torch, que durou de 1965 a 1973. Aliás, falando em irmãos Gallagher, deixa eu atualizar logo isso, pois viajo 120 km só para assistir eles no Gigantinho u.u


Até semana que vem, pessoal. E, é claro, mantenham a fé.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Um post sobre saudade


Estou aqui revirando meu baú de lembranças bagunçadas, misturadas entre medos e delírios. Uma droga isso. Saudades de 2006. Uma saudade doída dos amigos e das descobertas. Alguns amigos continuam aqui e das descobertas digo que já as fiz todas. Saudades da vida sem poses, rótulos e pretensões.

Saudade é uma palavra que só existe na língua portuguesa. Como pode ser uma palavra tão bonita, mas ao mesmo tempo tão dramática? Bem parece coisa de morimbundo dando tchau, e de certo modo é mesmo, pois cada vez que evoco essas lembranças que me matam a famigerada saudade, mais eu tento enterrá-las no cemitério da memória.

Eu não quero as coisas, as pessoas, os lugares de volta. Eu só quero a sensação. Aqueles pulinhos de alegria por dentro. Aquele sentimento de tudo se encaixando.

A verdade é que tu envelhece e a tua vida toma as formas das tuas escolhas. E às vezes eu tenho a impressão de ter vivido sem ter tomado grandes decisões e vice-versa.

E agora, tem volta? Orra! E agora, José?

Eu poderia refletir existencialmente sobre como aproveitar o agora, e cair no velho clichê latino do carpe diem (banalizou, como corte de cabelo e sabor de Toddy). Mas eu prefiro a minha velha máxima: "a vida é feita de apenas duas coisas: as escolhas que tu faz, e piadas, muitas piadas..."


Estavam no céu um rabino, um católico, um ateu e um português...


ps: a foto ilustra bem como eu me sinto quando estou com saudades - vontade de flutuar até outros tempos, mas presa...