sexta-feira, 27 de março de 2009

N.A.V.E. + Lollypops + Nós somos feitos de Rock!


Super roubando o espaço de post do Rocko nessa semana. Mas ele há de me perdoar porque é por nossa boa causa do Rrrrrock. Convido a todos vocês para que na próxima sexta-feira dia 03/04 compareçam para a nossa super festa que vai acontecer no Ooh-La-La Bar (também conhecido como o "Bar do Jus" e "Bar do Beiço"). Vai rolar o show da banda do Rocko Man, a N.A.V.E. que está com um repertório lindo e tri massa de músicas próprias e vários hits que a galera não sabe cantar. Ué, vai dizer que tu sabe "Jumpin' Jack Flash" de cor? E também um super show das gurias da Lollypops.
De quebra vou estar com a minha exposição fotográfica de espetáculos - "Nós somos feitos de Rock" - ilustrando a energia que o rock passa nos palcos.

Então não percam:
N.A.V.E. + Lollypops + Exposição fotográfica "Nós somos feitos de Rock"
Dia 03/ 04 - sexta-feira
Ooh-La-la Bar
Oswaldo Aranha, 908
Porto Alegre/RS

Vejo vocês lá! ;)

terça-feira, 17 de março de 2009

COMO SER UM MOD: Pequeno manual canastrão para quem se considera mod, mas não passa de mod wannabe


Lição nº 1: Adquira qualquer peça básica de vestuário vinda de um brechó. Quanto mais velha, com cheiro de mofada e cara de vintage, melhor.
Lição nº 2: Não tome sol sob hipótese alguma, afinal tu tem que reafirmar de algum modo tuas origens européias que te permitem ser um mod.
Lição nº 3: Desalinhe o cabelo, se possível nem o lave. O que vale é o visual final, não os detalhes. Porque o vestuário mod nunca tratou de elegância, não é mesmo?
Lição nº 4: Desconheça a figura de Paul Weller e sua importância.
Lição nº 5: Para as meninas: cabelinho pomposo e style + delineador de gatinho + vestidinho trapézio com estampas geométricas + pose de Twiggy + agir como uma groupie = mod girl.
Lição nº 6: Compre qualquer óculos escuros modelo Ray Ban Wayfarer ou de aros grandes e lentes coloridas e saia desfilando com os mesmos em lugares fechados, fumacentos e escuros.
Lição nº 7: Dê mais importância em saber a diferença entre as prensagens dos vinis daqui e da Europa do que as músicas que eles contêm.
Lição nº 8: A tua banda de garagem tem que fazer pelo menos 2 covers do The Who.
Lição nº 9: Fique indignado ao saber que os Skinheads (aqueles nazistinhas) na verdade fazem parte da árvore genealógica Mod.
Lição nº 10: Desfile sua jaqueta verde oliva de corte militar cheia de patches. Parka tu não sabe o que é ou não sabe onde comprar.
Lição nº 11: Seja saudosista. Época boa mesmo era a década de 1960...aquela em que tu nem era nascido.
Lição nº 12: Use um botton do Faichecleres e do Mod Target, se possível os dois juntos, isso é bem mod.
Lição nº 13: Northern Soul?! O que é isso?
Lição nº 14: Pague um pau danado para os caras da Cachorro Grande (entre outras bandas as quais prefiro não citar).
Lição nº 15: A combinação camiseta retrô com terno e all star é muito mod fashion.
Lição nº 16: Seja otário a ponto de dizer que tu tem uma boina mod simplesmente por ter colocado um mod target nela...
Lição nº 17: Seja figurinha cativa de festinhas onde toquem música sessentista, assim todos os teus amigos sebosos saberão o quão mod tu és.
Lição nº 18: Chame qualquer scooter de Lambretta.
Lição nº 19: Banalize. O mod de alma banaliza o que for considerado da época. Consome atitudes, roupas, cultura e é adepto de modinhas.
Lição nº 20: Use drogas. Consuma anfetaminas. Cheire a farinha de trigo. Beba litros de Polar e whisky como se não houvesse amanhã. Dê um tapinha no béque com seus amiguinhos, afinal, psicodelia é década de 1960 e é tããão mod.
Lição nº 21: A capital brasileira Mod é Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Paulistas e curitibanos não têm razão para nos odiar, nem para rir da nossa cara.
Lição nº 22: Lembre que pessoas que são fãs de Beatles têm um pé no modernismo.
Lição nº 23: Se é vintage, então é Mod!
KEEP THE FAITH, CRIEM VERGONHA NA CARA E NÃO SIGAM NUNCA ESSE MANUAL PELO BEM DO MODERNISMO.

quarta-feira, 11 de março de 2009

A arte de contracenar com o tempo e se fazer de morto


Um dia ainda descubro o real valor das coisas, o peso das costas e a inclinação lunar no céu do meu quarto. Existem pessoas que não existem, e outras que ousam em querer existir, ou seja, não basta existir tem que se mostrar existida de certa forma. Assunto juvenil, portanto, mudaremos os traços do meu português normal e absolutamente lúcido. Aqui já se tomou aspirina escondido com dez e acetona com doze... Imaginem, tenho 25 anos de sonho e de sangue / E de América do Sul / Por força deste destino / Um tango argentino / Me vai bem melhor que um blues... Como canta Belchior.

Falando em 25 anos, sonho, sangue, destino, tango e blues, farei um exercício mental com vocês, é assim:


Meu sangue é de blues,

Meu destino de sonho.

Pesam 25 anos de tango.

O peso do meu blues,

É como um sangue de sonho.

Feito um destino sem tudo.


Vamos para outro lugar agora, imaginem a cabeça de uma pessoa pesando 100 toneladas de madeira... Ela cai certo? Sim. Agora pensem uma cabeça com 25 toneladas de vento... Ela voa? Não. Ela pára. Simplesmente estaciona e pára.
E sobre a eternidade? A demora infinita, o imorredouro natural, ou seria irracional? Leia o livro o / Universo em Desencanto... Já cantava Tim Maia. Pois olha, a verdade sobre a verdade de falar verdades incabíveis se escondem nas mentiras mais estúpidas e mortais inconcebíveis.
Você escolhe amigos, ou se encanta com eles e já sabe que são seus amigos? Faz uma prova de matemática e escolhe quem sabe mais? Eu, nem escolho, eles vêm, eles ligam, tocam a campainha da minha casa, nem batem no quarto, entram... Porque os deixo livres para ir e voltar, sempre. E a saudade? As lembranças afetuosas a pessoa ausente...
Eu sinto saudade, tenho saudade das minhas irmãs, das minhas sobrinhas de S.P, dos meus pais quando viajo, da minha namorada, dos meus amigos, dos meus amigos... Sabe, tentam fazer com que eu mostre algumas coisas para amigos meus, e eu respondo aqui sem revolução alguma: - Eu deixo, deixar nada mais é do que abster-se e permitir que o tempo fale, eu sei que ele fala e honestamente, me calo, me fecho e me conscientizo de que adjetivos a mim foram atribuídos e aceitos da maneira mais interessante possível, e saibam, interessante é ser interessado por todo o sempre. E querendo me aprofundar mais, sei que pra mim não é preciso ir longe para buscar paz, Belchior, pra mim é sinônimo de bom português e de paz, afinal de contas, escrever nada mais é do que representar-se por meio de letras, então, represente-se sempre bem, e uma letra bem escrita fala pela eternidade e com ela se sente a saudade de tempos de paz...


Vai, voa vento/ vento, voa e vai...


A Palo Seco (Antônio Carlos Belchior)


Se você vier me perguntar por onde andei

No tempo em que você sonhava

De olhos abertos lhe direi

Amigo eu me desesperava

Sei que assim falando pensas

Que esse desespero é moda em 76

Mas ando mesmo descontente

Desesperadamente eu grito em português

Mas ando mesmo descontente

Desesperadamente eu grito em português

Tenho 25 anos de sonho e de sangue

E de América do Sul

Por força deste destino

Um tango argentino

Me vai bem melhor que um blues

Sei que assim falando pensas

Que esse desespero é moda em 76

E eu quero é que esse canto torto feito faca

Corte a carne de vocês

E eu quero é que esse canto torto feito faca

Corte a carne de vocês

>>> Desculpem a demora do post, mas isso não vai se repetir. Beijo e abraços a todos.

>>> Domingo de batizado, meu amigo e irmão camarada de festinhas com whiskys batizará seu filhão Chico Farina... Então, rock pra ele! Meu abraço estará lá.