segunda-feira, 25 de maio de 2009

The Mod Target

Resolvi antecipar em um dia o post. Estou sem computador em casa, amanhã é feriado aqui na minha cidade, logo estou no computador do trampo e que o meu chefe não veja isso.

O post dessa semana será sobre o Mod Target, o símbolo que indentifica um modernista em qualquer parte da galáxia.

Creio eu que o mod target seja um símbolo pop com grande impacto em níveis de comunicação, pois como já disse, é através dele que um Mod identifica outro em qualquer parte. Porém, se tornou nas mãos de alguns um objeto de arte banalizado e comercial, fazendo com que pretensos modernistas desfilem ostentando o símbolo por aí.

Segundo o Wikipedia, o Roundel, isto é, o Medalhão, em heráldica (a ciência dos brasões) é qualquer forma circular, o termo também é comumente usado para se referir a um tipo de insígnias nacionais utilizados em aeronaves militares, geralmente em forma circular e, geralmente, compreendendo anéis concêntricos de diferentes cores.

Militarmente, os primeiros a usarem o 'target' foram os franceses durante a 1ª Guerra Mundial. Logo após vieram os os britânicos e os norte-americanos, que assim como os já citados franceses usavam o target em suas respectivas cores para diferenciar suas Forças Aéreas.

O target, espcialmente o da Real Força Aérea Britânica, começou a aparecer na década de 1960 em obras do pintor Jasper Johns. O Mod target, como pode ser chamado, se tornou febre depois que o The Who, em início de carreira, passou a usá-lo como símbolo em seu vestuário. Posteriormente, o mod target passou a ser símbolo do modernismo, sendo assim reconhecido no mundo todo.

Vejo vocês na semana que vem.

terça-feira, 19 de maio de 2009

A árvore genealógica skinhead

[Clica na figurinha que ela fica maior]

muitas gírias + erros de grafia na língua inglesa = tradução ruim

MOD - 1962 a 67
Na metade da década de 1960 o modernismo acabou trombando com o movimento do Flower Power e sofrendo com o impacto. A maioria aderiu a psicodelia, mas os modernistas mais tradicionais rejeitaram essa nova onda se tornando ainda mais durões.


RUDEBOY - 1960 - 70
Um cult importado da Jamaica que foi favorecido pelas jovens classes trabalhadoras. Foi amigo e aliado do MOD para o início dos SKINHEADS.


SKINHEADS - 1967 - 71
Mais uma contra-cultura do que uma cultura. Eles foram resultado direto dos MODS que odiavam os Hippies. Os primeiros skinheads eram ex-membros de gangues mods. Durante a explosão do reggae entre 1969 - 70, os skinheads roubaram vários elementos dos rudeboys.


SUEDEHEAD - 1970 - 73
Depois de alguns anos, alguns skinheads tornaram-se 'vigaristas', deixando o cabelo crescer alguns centímentros e o repartindo ao meio. Usavam as vestimentas também ao dia, ao invés de só as usarem à noite. Eram as mesmas crias, porém com mais estilo.


SMOOTHIE - 1971 - 74
Um ano depois dos suede, o cabelo ficou mais longo, as calças se alargaram nas barras no estilo dos anos 1970. Os ganchos mais importante do reggae, da cerveja e do futebol foram mantidos. As garotas eram chamadas SORTS.


BOOTBOY 1972 - 77
Era a versão urbana dos Suede/Smooth. Foi nas pequenas cidades que o movimento sobreviveu com dificuldade na década de 1970, levado a diante pelos BOOTBOYS.


REVIVAL SKINHEAD 1977 - 78
Com o nascimento do punk rock, o movimento skinhead revivalista começou. Eles são os pais dos skinheads modernos.


TRADITIONAL SKINHEAD 1978 - dias de hoje
Por mais que alguns tenham seguido o estilo das bandas como o Sham 69, alguns skins decidiram ressuscitar exatamente o que seus predecessores estavam fazendo na década de 1960. Estes eram os puristas, que se identificavam mais com o Two-Tone do que com o Punk Rock.


OI SKIN - 1980 - dias de hoje
Depois da queda da cena punk original, um novo estilo musical foi feito para os skins, e então o movimento OI nasceu. Contrariamente à opinião popular, o OI nada tem com o nazismo e o racismo.


REDSKINS 1978 (?) - dias de hoje
Por mais que tenham nobres intenções, se trata de um movimento político. E política nada tem a ver com o movimento skinhead.


NAZI SKIN 1978 - dias de hoje
No final da década de 1970 os políticos encontraram a juventude britânica. Infelizmente, skins menos inteligentes foram os recrutas perfeitos para políticas de ódio. A partir daí começa a pior parte da história dos skins.


AMERICAN TRADITIONAL SKIN - 1982 (?) - dias de hoje
Assim como os britânicos, os trad-skins norte americanos seguem os verdadeiros passos dos Skinheads.


AMERICAN PUNK SKIN - 1978 - dias de hoje
Ao mesmo tempo que são skinheads são punks carecas. Pelo menos não são nazistas. Eles são fãs de hard-core e podem ser encontrados em shows de punk rock.


AMERICAN NAZI SKIN - 1983 - dias de hoje
Como se pode ver, os nazistas carregam pouca ou nenhuma semelhança com os skinheads no sentido real da palavra. Geralmente, sabem nada ou muito pouco de seu passado e não passam de uns racistas carecas, metidos a fortão e caipiras.

Mantenham a fé.
Vejo vocês na semana que vem.

terça-feira, 12 de maio de 2009

A origem da frase "Keep the faith" e do símbolo do punho fechado no Northern Soul

A pesquisa para este post foi árdua. Espero que todos vocês que ainda têm a paciência de semanalmente ler este blog, possam me ajudar com referências sobre o tópico de hoje e com sugestões de novos assuntos.

A origem da frase "Keep the faith", ou "Mantenha a fé" numa tradução literal é cercada de dúvidas para mim. Uma das poucas coisas que eu tinha certeza antes de pesquisar, era que a frase era diretamente ligada à luta dos direitos civis dos negros norte-americanos. Porém, diretamente ligado ao que chamamos de Soul Music da década de 1960, que era produzido pelo selo musical Tamla-Motown.
Devido a popularidade da Soul Music no norte da Inglaterra nesta década, o termo "Northern Soul" passou a ser diretamente ligado a este ritmo que era popular nos clubes de lá. Logo, não era um soul produzido no norte dos Estados Unidos, e sim, muito popular e apreciado no Norte da Inglaterra.

Dave Godin, o jornalista que cunhou o termo "Northern Soul" explica que a frase Mantenha a Fé foi originada diretamente da luta pelos direitos civis dos negros norte americanos. Isso também vale para o símbolo do punho fechado, que é a saudação Black power dentro dos Panteras Negras. Em um próximo post explicarei a polêmica em torno disso e a direta relação com os jogos olímpicos. Sim, ela existe.

Estes dias, olhando as fotos dos irmãos Gallagher na internet, achei essa foto que me chamou bastante a atenção pelo fato de que Noel está usando uma camiseta com o logo "torch forever", em clara alusão ao Northern Soul. Creio que o termo seja derivado do nome do clube inglês Golden Torch, que durou de 1965 a 1973. Aliás, falando em irmãos Gallagher, deixa eu atualizar logo isso, pois viajo 120 km só para assistir eles no Gigantinho u.u


Até semana que vem, pessoal. E, é claro, mantenham a fé.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Um post sobre saudade


Estou aqui revirando meu baú de lembranças bagunçadas, misturadas entre medos e delírios. Uma droga isso. Saudades de 2006. Uma saudade doída dos amigos e das descobertas. Alguns amigos continuam aqui e das descobertas digo que já as fiz todas. Saudades da vida sem poses, rótulos e pretensões.

Saudade é uma palavra que só existe na língua portuguesa. Como pode ser uma palavra tão bonita, mas ao mesmo tempo tão dramática? Bem parece coisa de morimbundo dando tchau, e de certo modo é mesmo, pois cada vez que evoco essas lembranças que me matam a famigerada saudade, mais eu tento enterrá-las no cemitério da memória.

Eu não quero as coisas, as pessoas, os lugares de volta. Eu só quero a sensação. Aqueles pulinhos de alegria por dentro. Aquele sentimento de tudo se encaixando.

A verdade é que tu envelhece e a tua vida toma as formas das tuas escolhas. E às vezes eu tenho a impressão de ter vivido sem ter tomado grandes decisões e vice-versa.

E agora, tem volta? Orra! E agora, José?

Eu poderia refletir existencialmente sobre como aproveitar o agora, e cair no velho clichê latino do carpe diem (banalizou, como corte de cabelo e sabor de Toddy). Mas eu prefiro a minha velha máxima: "a vida é feita de apenas duas coisas: as escolhas que tu faz, e piadas, muitas piadas..."


Estavam no céu um rabino, um católico, um ateu e um português...


ps: a foto ilustra bem como eu me sinto quando estou com saudades - vontade de flutuar até outros tempos, mas presa...