terça-feira, 26 de outubro de 2010

10 variações do MOD

Um divertido guia em tradução livre do ModCulture



Os condimentos Heinz vem em 57 variedades, mas que tal o Mod? Bem, o número é próximo de dez. Aqui vai uma listinha divertida dos diferentes tipos de modernistas que você pode encontrar, do tradicional ao wanna be. Qual tipo você é?

Mod Old School

Se distingue por: adorar clubes de R&B e se vestir super bem.
Ama: sons autênticos do início da década de 60, blues, R&B, um pouco de ska, clubes mais fechados, roupas sob medida, um ou dois botões na perna da calça, Levi's com costura turn-up e loafers com pendões.
Odeia: Indies, pessoas 'non sense' que chegam aos clubes e querem esculhambar a pista, qualquer coisa depois de 1963 (especialmente os "swirlies") e bandas ao vivo que não toquem o jazz ou o blues autênticos.
Onde você pode encontrar um: Em clubes fechados, que provavelmente se tratem de salas encima de pubs.


Revivalista:

Se distingue por: Um amor pelo revival e por grandes reuniões.
Ama: O retorno ao vivo de uma banda das antigas, Paul Weller, nostalgia, playlist da década de 80 da Sneakers, falar com skins e casuais remanescentes sobre 'aqueles dias', meias brancas, blazers, sapatos de boliche, e, é claro, a humilde parka.
Odeia: Elitismo de outros mods, envelhecer, a falta de mods em clubes e a falta de respeito de alguns mods por bandas de power pop.
Onde você pode encontrar um: na frente de onde vai acontecer um show do Teenbeats

O "não sou um mod" (também conhecido como "coisa alguma"):

Se distingue por: Ficar falando a todos que na verdade ele "não é um mod".
Ama: algumas partes do modernismo - muitas vezes as scooters, uma pequena fração da música e uma parte do vestuário, mas normalmente falar para todos que queiram ouvir que eles "não são mods" é o que eles preferem.
Odeia: A parte do mod que tem "cena", clubes mod, parkas e, provavelmente, os fóruns de discussão do ModCulture.
Onde você pode encontrar um: Em casa à noite, num clube indie ou provavelmente num dos fóruns de discussão do ModCulture. Mesmo que eles não sejam mods. Na verdade eles não são.

O "eu era um mod":

Se distingue por: usar o jargão "Eu era um mod, mas amadureci e saí dessa...".
Ama: Falar para todo mundo que "o modernismo morreu", especialmente em clubes de soul. Além de adorar usar roupas mais casuais porque é o "novo mod".
Odeia: Tudo que se relacione com mod, seu passado mod e tudo que deixe a entender que ele ainda parece um mod.
Onde você pode encontrar um: Em algum evento ou clube de soul, se esgueirando na ala dos mods quando ninguém está olhando. Ou fazendo sua própria festa de soul.

O indie:

Se distingue por: usar tênis Adidas, camisas pólo e cabelos no estilo Paul Weller.
Ama: Oasis (uma banda mod mod-erna), Arctic Monkeys, todas as outras bandas que soem tanto como Oasis quanto como o Arctic Monkeys, shows ao vivo, discos velhos que o 'pai' tem do The Jam, produtos do Pretty Green (mesmo que o preço seja salgado).
Odeia: música velha, roupa velha, gastar dinheiro com bobagem quando se pode gastar numa noitada, indo a um show ou em 4 latas de cerveja.
Onde você pode encontrar um: na fila para comprar ingressos da nova banda do Liam Gallagher. Porque ele é mais Deus do Mod do que o Weller jamais foi.

O mod-erno elitista dos dias de hoje:

Se distingue por: por estar usando jeans japonês e japona de pescador da Albam. Pelo menos nesta semana.
Ama: Preços altos, roupa casual vendida em poucas peças, qualquer coisa feita no Japão, scooters vintage, acumular uma coleção de roupas esportivas sem nunca tê-las usado.
Odeia: Não tem muito tempo para música mod e abomina o estereótipo mod - porque o mod de hoje deveria estar vestido só com as marcas atuais.
Onde você pode encontrar um: mexendo nas prateleiras da Oi Polloi (nota: loja masculina de Manchester)

O mod Quadrophenia:

Se distingue por: cantar o hino "We are the mods, we are the mods, etc etc..."
Ama: Quadrophenia, os diálogos de Quadrophenia, bandas tributo, The Jam, The Who, ver o Phill Daniels em qualquer dramalhão da tevê, parkas, Ben Sherman, qualquer coisa do TK Maxx com um mod target na frente.
Odeia: que caçoem das bandas tributo, bandas novas, soul antigo e roupas que custem mais que 20 libras a peça.
Onde você pode encontrar um: pulando pra cima e pra baixo, cantando num concerto do The Jaaaammmm...bem, você pode imaginar.

O garagem/ mod psicodélico (também conhecido como "swirly"):

Se distingue por: cores berrantes e franjas
Ama: discos de 45 rotações europeus e obscuros do final dos anos 1960, cachecóis, arabescos, camisas Rockhunter da Carnaby, Le Beat Bespoque, Euro Yeye, chamar mods de 'quadrados' e o atual amor da NME para bandas garagem desde que The Horrors alcançou as paradas.
Odeia: Soul, R'n'B, cores lisas, que riam da sua cara no ônibus, ter de deixar de usar sua roupa fantasiosa para ir ao escritório de segunda a sexta.
Onde você pode encontrar um: num par de hispsters rebaixados no Mousetrap Fuzz 4 (nota: Clube Londrino).

O mod em crise:

Se ditingue por: seu recém comprado traje Ace Face e sua scooter modelo SX.
Ama: estar na meia idade, ter dinheiro para torrar e gastar agora que as crianças cresceram, sem falar poder ter um fim-de-semana longe da patroa na Ilha de Wight. Não mencionar sua "crise de meia idade".
Odeia: Todos os anos perdidos com a vida em família, não ter mais 17 anos, ter que voltar para casa nos domingos à noite, ser um transportador de passageiros durante a semana, a calça de 1000 libras e o fato de o terno ser um pouco apertado. É muito caro mandar roupas personalizadas pelo correio.
Onde você pode encontrar um: jogando dinheiro fora num bar na Ilha de Wight.

O mod de internet:

Se distingue por: uma palidez de quem não sai de casa. Nunca.
Ama: fóruns de internet, facebook, twitter, comprar roupas pela internet, fazer downloads de música, comida para levar e idealizar uma imagem de Carnaby Street apesar da forte evidência em contrário.
Odeia: sair de casa, fazer comprar em lojas de verdade, ir a clubes e perder conexão na internet.
Onde você pode encontrar um: online, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Mantenham a fé e até semana que vem



Um comentário:

Mesmo com a moderação de comentários, use seu bom senso. Caro (a) anônimo (a), por favor, identifique-se no comentário!