quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Uma breve crônica sobre a vinda de Paul McCartney a Porto Alegre - 07/11/10



Depois de ter passado minha adolescência inteira ouvindo o chiadinho dos vinis dos Beatles guardados e passados a mim com tanto carinho pela minha mãe (um dele deveras raro), eu posso dizer com certeza que realizei um dos maiores sonhos da minha vida inteira neste último domingo, dia 07. A recompensa pela espera durante um mês inteiro pela compra de um único ingresso, o calor sob o sol senegalês de Porto Alegre, a sede, a fome e o cansaço no Beira-Rio foram recompensados pelas três horas de show de Sir Paul McCartney. A ficha durante a espera pelo show demora para cair. É ele, ele está lá a mui
tos metros de distância e tu está lá, tu consegiu! Tu vai ver o HOMEM em carne e osso! Intraduzível o que senti na hora em que o vi entrar no palco, senti um misto de emoções e logo não contive o choro.
Aos 21 anos eu já era conhecida pelos 'migos' por Penny Lane, a menina com a tattoo da capa do Help! no ombro, aquela guria que na época do colégio salvava as aulas de inglês com a fitinha k7 da coletânea de 20 hits que foram número #1 nas paradas e, finalmente, aos 24 realizo o sonho de qualquer beatlemaníaco que se preze. Dos tantos momentos que vou guardar na minha memória deste dia maravilhoso, o mais especial vai ser ter levantado as mãos para o céu agradecendo a Deus a oportunidade de estar lá.
Obrigada Beatles pelo que eu sou hoje e pela minha bagagem musical que me acompanhou, me acompanha e me acompanhará pelo resto da minha vida. Obrigada, Sir Paul McCartney pela energia contagiante e pelo dia mais feliz da minha vida. Meu amor pelos Beatles e por tudo o que eles representam na vida de tanta gente está maior que o cartaz de boas-vindas na entrada do Beira Rio...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mesmo com a moderação de comentários, use seu bom senso. Caro (a) anônimo (a), por favor, identifique-se no comentário!