quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Renato & seus Blue Caps 1971, 1972, 1973

Chegando na fase 70s dos Blue Caps, com a volta de Paulo Cezar no baixo, e Pedrinho deixa o baixo e passa para guitarra "segurando as pontas" para o guitarrista lider Renato, porém o álbum de 1971 é o preferido de Renato, e é último com o "Baterista do Rei" Tony, que em 1972 é substituido por Gelson Moraes, mas é isso aí pessoal!!!

MANTENHAM A FÉ!!!!




1971 - Renato e seus Blue Caps

Primeiro álbum de Renato e Seus Blue Caps a não incluir versões de músicas internacionais. Neste disco, está evidente a influência do guitarrista Santana sobre Renato Barros, o que deu ao LP uma sonoridade bem característica do início da década de 70.
Como curiosidade, vale destacar que este é o disco preferido de Renato, entre todos que a banda lançou. A faixa que abre o disco, "46-77-23", do excelente compositor Getúlio Côrtes, causou alguns "inconvenientes" ao dono do telefone cujo número era cantado no refrão desta música.
O álbum marca também o retorno de Paulo Cezar Barros ao conjunto.

Formação:
Renato Barros: Guitarra e Vocal;
Paulo Cezar Barros: Baixo e Vocal;
Cid Chaves: Vocal e Percussão;
Scarambone: Teclados;
Pedrinho: Guitarra;
Tony: Bateria

01 - 46-77-23
02 - Esta Noite Não Sonhei com Você
03 - Sheila
04 - Sou Louco Por Você
05 - Você Vai me Ouvir
06 - Tania
07 - Não É Nada Disso
08 - Nós Dois
09 - Agora É Tarde
10 - O Brinquedo se Quebrou
11 - Sou Amor Pra Te Entregar
12 - Ainda É Hora de Chorar

DOWNLOAD




1972 - Renato e seus Blue Caps

Disco basicamente composto por versões de temas internacionais, assinadas, em sua grande maioria, por Rossini Pinto.
Renato e Seus Blue Caps, de 72, é um disco apreciado por uns, mas não tão bem aceito por outros.
O ponto alto do LP talvez seja exatamente a criatividade vocal do conjunto, que deu às gravações um colorido especial, marcante e característico de Renato e Seus Blue Caps. Estréia de Gelson na bateria, substituindo Toni.

Formação:
Renato Barros: Guitarra e Vocal;
Paulo Cezar Barros: Baixo e Vocal;
Cid Chaves: Vocal e Percussão;
Scarambone: Teclados;
Pedrinho: Guitarra;
Gelson: Bateria

01 - Darling, Darling (Darling, Darling)
02 - Eu Sou o Que Eu Sou (I am that I am)
03 - Não Foi o Que Eu Fiz
04 - Vou Mudar De Vida (Don't want to say goodbye)
05 - Domingo Feliz (Beautiful Sunday)
06 - Você Vive
07 - Por Você (Little girl)
08 - Mas Não Faz Mal (It's alright "I don't mind")
09 - Por Amar (I've been down)
10 - Eu Te Adoro (I need you)
11 - Baby, Baby
12 - Vou-me Embora (Michoacan)

DOWNLOAD



1973 - Renato e seus Blue Caps

O LP de 1973 segue basicamente a mesma linha do álbum anterior, priorizando versões de temas internacionais, assinadas geralmente por Rossini Pinto.
Talvez a diferença esteja na escolha do repertório, neste caso tendendo a um estilo mais "popular".
Aliás, é deste álbum um dos maiores sucessos do grupo nos anos 70, a composição de Renato e Rossini Pinto: "Se Você Soubesse".
Fora isso, o disco passou sem alcançar o mesmo êxito obtido por outros lançamentos.

Formação:
Renato Barros: Guitarra e Vocal;
Paulo Cezar Barros: Baixo e Vocal;
Cid Chaves: Vocal e Percussão;
Scarambone: Teclados;
Pedrinho: Guitarra;
Gelson: Bateria

01 - Vamos Viver Cantando (Let's hang the moon in the front room mama)
02 - Eva Maria
03 - Mentira
04 - Não Penso Nela (Non penso più a lei)
05 - Porque Os Sonhos Se Vão (Porque los sueños se van)
06 - Não Me Interessa
07 - Se Você Soubesse
08 - Um Homem Apaixonado (Un hombre enamorado)
09 - Guarde O Seu Amor Pra Mim (Save the last dance for me)
10 - Estranho (Strange one)
11 - Um Cantinho No Seu Coração
12 - Jurei Nunca Mais Lhe Aceitar (So what if it rains)

DOWNLOAD

terça-feira, 26 de outubro de 2010

10 variações do MOD

Um divertido guia em tradução livre do ModCulture



Os condimentos Heinz vem em 57 variedades, mas que tal o Mod? Bem, o número é próximo de dez. Aqui vai uma listinha divertida dos diferentes tipos de modernistas que você pode encontrar, do tradicional ao wanna be. Qual tipo você é?

Mod Old School

Se distingue por: adorar clubes de R&B e se vestir super bem.
Ama: sons autênticos do início da década de 60, blues, R&B, um pouco de ska, clubes mais fechados, roupas sob medida, um ou dois botões na perna da calça, Levi's com costura turn-up e loafers com pendões.
Odeia: Indies, pessoas 'non sense' que chegam aos clubes e querem esculhambar a pista, qualquer coisa depois de 1963 (especialmente os "swirlies") e bandas ao vivo que não toquem o jazz ou o blues autênticos.
Onde você pode encontrar um: Em clubes fechados, que provavelmente se tratem de salas encima de pubs.


Revivalista:

Se distingue por: Um amor pelo revival e por grandes reuniões.
Ama: O retorno ao vivo de uma banda das antigas, Paul Weller, nostalgia, playlist da década de 80 da Sneakers, falar com skins e casuais remanescentes sobre 'aqueles dias', meias brancas, blazers, sapatos de boliche, e, é claro, a humilde parka.
Odeia: Elitismo de outros mods, envelhecer, a falta de mods em clubes e a falta de respeito de alguns mods por bandas de power pop.
Onde você pode encontrar um: na frente de onde vai acontecer um show do Teenbeats

O "não sou um mod" (também conhecido como "coisa alguma"):

Se distingue por: Ficar falando a todos que na verdade ele "não é um mod".
Ama: algumas partes do modernismo - muitas vezes as scooters, uma pequena fração da música e uma parte do vestuário, mas normalmente falar para todos que queiram ouvir que eles "não são mods" é o que eles preferem.
Odeia: A parte do mod que tem "cena", clubes mod, parkas e, provavelmente, os fóruns de discussão do ModCulture.
Onde você pode encontrar um: Em casa à noite, num clube indie ou provavelmente num dos fóruns de discussão do ModCulture. Mesmo que eles não sejam mods. Na verdade eles não são.

O "eu era um mod":

Se distingue por: usar o jargão "Eu era um mod, mas amadureci e saí dessa...".
Ama: Falar para todo mundo que "o modernismo morreu", especialmente em clubes de soul. Além de adorar usar roupas mais casuais porque é o "novo mod".
Odeia: Tudo que se relacione com mod, seu passado mod e tudo que deixe a entender que ele ainda parece um mod.
Onde você pode encontrar um: Em algum evento ou clube de soul, se esgueirando na ala dos mods quando ninguém está olhando. Ou fazendo sua própria festa de soul.

O indie:

Se distingue por: usar tênis Adidas, camisas pólo e cabelos no estilo Paul Weller.
Ama: Oasis (uma banda mod mod-erna), Arctic Monkeys, todas as outras bandas que soem tanto como Oasis quanto como o Arctic Monkeys, shows ao vivo, discos velhos que o 'pai' tem do The Jam, produtos do Pretty Green (mesmo que o preço seja salgado).
Odeia: música velha, roupa velha, gastar dinheiro com bobagem quando se pode gastar numa noitada, indo a um show ou em 4 latas de cerveja.
Onde você pode encontrar um: na fila para comprar ingressos da nova banda do Liam Gallagher. Porque ele é mais Deus do Mod do que o Weller jamais foi.

O mod-erno elitista dos dias de hoje:

Se distingue por: por estar usando jeans japonês e japona de pescador da Albam. Pelo menos nesta semana.
Ama: Preços altos, roupa casual vendida em poucas peças, qualquer coisa feita no Japão, scooters vintage, acumular uma coleção de roupas esportivas sem nunca tê-las usado.
Odeia: Não tem muito tempo para música mod e abomina o estereótipo mod - porque o mod de hoje deveria estar vestido só com as marcas atuais.
Onde você pode encontrar um: mexendo nas prateleiras da Oi Polloi (nota: loja masculina de Manchester)

O mod Quadrophenia:

Se distingue por: cantar o hino "We are the mods, we are the mods, etc etc..."
Ama: Quadrophenia, os diálogos de Quadrophenia, bandas tributo, The Jam, The Who, ver o Phill Daniels em qualquer dramalhão da tevê, parkas, Ben Sherman, qualquer coisa do TK Maxx com um mod target na frente.
Odeia: que caçoem das bandas tributo, bandas novas, soul antigo e roupas que custem mais que 20 libras a peça.
Onde você pode encontrar um: pulando pra cima e pra baixo, cantando num concerto do The Jaaaammmm...bem, você pode imaginar.

O garagem/ mod psicodélico (também conhecido como "swirly"):

Se distingue por: cores berrantes e franjas
Ama: discos de 45 rotações europeus e obscuros do final dos anos 1960, cachecóis, arabescos, camisas Rockhunter da Carnaby, Le Beat Bespoque, Euro Yeye, chamar mods de 'quadrados' e o atual amor da NME para bandas garagem desde que The Horrors alcançou as paradas.
Odeia: Soul, R'n'B, cores lisas, que riam da sua cara no ônibus, ter de deixar de usar sua roupa fantasiosa para ir ao escritório de segunda a sexta.
Onde você pode encontrar um: num par de hispsters rebaixados no Mousetrap Fuzz 4 (nota: Clube Londrino).

O mod em crise:

Se ditingue por: seu recém comprado traje Ace Face e sua scooter modelo SX.
Ama: estar na meia idade, ter dinheiro para torrar e gastar agora que as crianças cresceram, sem falar poder ter um fim-de-semana longe da patroa na Ilha de Wight. Não mencionar sua "crise de meia idade".
Odeia: Todos os anos perdidos com a vida em família, não ter mais 17 anos, ter que voltar para casa nos domingos à noite, ser um transportador de passageiros durante a semana, a calça de 1000 libras e o fato de o terno ser um pouco apertado. É muito caro mandar roupas personalizadas pelo correio.
Onde você pode encontrar um: jogando dinheiro fora num bar na Ilha de Wight.

O mod de internet:

Se distingue por: uma palidez de quem não sai de casa. Nunca.
Ama: fóruns de internet, facebook, twitter, comprar roupas pela internet, fazer downloads de música, comida para levar e idealizar uma imagem de Carnaby Street apesar da forte evidência em contrário.
Odeia: sair de casa, fazer comprar em lojas de verdade, ir a clubes e perder conexão na internet.
Onde você pode encontrar um: online, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Mantenham a fé e até semana que vem



quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Renato & seus Blue Caps 1968, 1969, 1970

Agora veio a fase final da Jovem Guarda, em 68 com um membro novo, Mauro Motta nos teclados, porém foi o único disco com ele, foi o último com os integrantes Carlinhos e Paulo Cezar, e no disco inteiro os vocais foram assumidos por Paulo Cezar, em 69 muda a formação, Scarambone nos teclados, e Pedrinho no contrabaixo (indicado por Paulo Cezar, que foi arriscar uma carreira solo), e entram numa fase meio "Hippie", mas não deixa de ser um baita disco, em 70 é a mesma formação de 69, e um baita disco também!!!!

Mantenham a fé até quinta!!!!



1968 - Especial

"Especial" é um dos melhores discos do conjunto. Além de uma excelente qualidade sonora, possui arranjos vocais e instrumentais que deram um som "especial" ao LP. A novidade ficou por conta da participação do tecladista Mauro Motta, que na época passara a integrar a banda.
Este também foi um dos álbuns de maior vendagem de Renato e Seus Blue Caps, dando mostras de que o grupo sobreviveria ao enfraquecimento do movimento Jovem Guarda.

Formação:
Renato Barros: Guitarra Solo;
Paulo Cezar Barros: Baixo e Vocal;
Cid Chaves: Percussão;
Carlinhos: Guitarra Rítmica;
Tony: Bateria;
Mauro Motta: Teclados

01 - Para me Abandonar
02 - Ela É Um Mistério Para Mim
03 - Porque Eu Te Amo
04 - Escreva Logo
05 - Não Vou Me Humilhar Por Você
06 - Te Adoro (No fuimos)
07 - Ela É Tão Linda
08 - A Esperança É a Última Que Morre
09 - Não Demore Mais
10 - Já Não Precisas Mais Chorar
11 - Bem Feliz Serei (Sunshine girl)
12 - Sem Suzana

DOWNLOAD

1969 - Renato e seus Blue Caps
Lançado no final de 69, este foi o primeiro álbum após a saída do baixista e vocalista Paulo Cezar Barros, que partia para carreira solo. Também não faziam mais parte do grupo o guitarrista Carlinhos e o tecladista Mauro Motta. Apesar de todas essas mudanças, os novos componentes - Pedrinho (baixo) e Scarambone (Teclados) - se encaixaram perfeitamente ao estilo e ao perfil da banda, fazendo com que o LP de 69 fosse um sucesso de vendas e de crítica, caindo no gosto popular.

Formação:
Renato Barros: Guitarra e Vocal;
Cid Chaves: Vocal;
Tony: Bateria;
Scarambone: Teclado;
Pedrinho: Baixo

1 - Obrigado Pela Atenção
2 - Meu Bom Amigo
3 - Foi Mentira
4 - No Dia em Que Você Me Disse Adeus
5 - Eu Vivia Enganado (Hooked on a feeling)
6 - Disse Me Disse
7 - Não Vá Embora Sem Me Dizer
8 - Tão Sozinho (Cuore stanco)
9 - Não Volto Mais (Paperback writer)
10 - Despedida
11 - Claudia (Lodi)
12 - Quando A Cidade Dorme

download
1970 - Renato e seus Blue Caps
A banda entrava com o pé direito na década 70 com este excelente álbum, que para muitos, é um dos melhores já lançados por Renato e Seus Blue Caps.
Cid e Renato dividem vocais pra lá de competentes e, junto com arranjos modernos e inovadores, fazem deste disco um clássico da discografia do conjunto.

Formação:
Renato Barros: Guitarra e Vocal;
Cid Chaves: Vocal;
Tony: Bateria;
Scarambone: Teclado;
Pedrinho: Baixo

01 - Faça O que Eu Digo, Mas Não Faça O que Eu Faço
02 - Coitadinha de Você
03 - Playboy
04 - Todo Meu Amor Você Levou
05 - Escreva
06 - Cha-La-La Marisa
07 - Tudo Tem Seu Preço
08 - Vontade de Viver
09 - Só Faço Com Você
10 - Não Quero Chorar
11 - Meu Amigo do Peito
12 - Se Eu Sou Feliz, Por Que Estou Chorando?

DOWNLOAD

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Slackers no Brasil

Fonte Radiola Records, agradecimentos especiais a Aryanne Rodrigues


They are back in town! Os Slackers e o seu "Jamaican Rock n' Roll"!
De 9 e 21 de Novembro, na maior turnê de uma banda de ska já realizada na América do Sul, o grupo do Brooklyn, New York, apresenta seus clássicos e lança o álbum "The Great Rocksteady Swindle".

Confira a agenda:

Ter, Nov 9 - Porto Alegre/RS, Brasil - Live Sport Club/Boss Sounds
Qua, Nov 10 - Porto Alegre/RS, Brasil - Live Sport Club/Boss Sounds
Qui, Nov 11 - São Paulo/SP, Brasil - Clash Club
Sex, Nov 12 - Campinas/SP, Brasil - Casa São Jorge/Skandalosa
Sáb, Nov 13 - Belo Horizonte/MG, Brasil - Music Hall/53 HC Fest
Dom, Nov 14 - Belém/PA, Brasil - Se Rasgum Festival
Seg, Nov 15 - Brasília/DF, Brasil - Bar do Calaf/Criolina
Qui, Nov 18 - Rosário, Argentina - Willie Dixon
Sex, Nov 19 - Buenos Aires, Argentina - Niceto Club
Sáb, Nov 20 - Rio de Janeiro/RJ, Brasil - a confirmar
Dom, Nov 21 - Rio de Janeiro/RJ, Brasil - a confirmar

terça-feira, 19 de outubro de 2010

V.A.- Coletânea Shots in the dark (1981)

Esta semana trago para vocês esta coletânea que reúne bandas obscuras de Ska da Grã-Bretanha. Este é um projeto ambicioso de Laurie Mellor, que além de tentar dar destaque a estas bandas inspiradas no 2-tone, no The Clash e no Police ainda traz bandas cujas letras são fortemente influenciadas pelo cristianismo.



01. The Graphics - Don't Stop
02. The Stares - Pseudo Love
03. Crowd Control - There Are Houses
04. Mystery Guests - Take A Look At Yourself
05. The Predators - He Thinks He Knows Me
06. The Graphics - Just A Balloon
07. The Magnetics - Passin' Thru
08. The Predators - Plastic Surgeon
09. Crowd Control - Treason
10. Mystery Guests - So Misunderstood
11. The Magnetics - Not My Home
12. The Stares - Joe


Espero que tenham gostado e até semana que vem!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Renato e seus Blue Caps - 1965, 1966, 1967

Aqui vão mais três obras dos Blue Caps, sim, as obras que marcaram a vida deles, foram três obras que mais marcaram na fase da Jovem Guarda, ambos os álbums com os mesmos integrantes, são eles:
*Renato Barros: Guitarra Solo e Voz;
*Paulo Cezar Barros: Baixo e Vocal;
*Cid Chaves: Sax;
*Carlinhos: Guitarra Rítmica;
*Tony: Bateria
Tony não escapava das gravações do Rei ROBERTO CARLOS, ele era considerado por Roberto “O Baterista do Rei”, por mais que viesse um baterista seja de onde for e melhor que o Tony, o Roberto não queria, ele queria O TONY, se não nem gravava, Paulo Cezar gravou os discos de Roberto Carlos até 1981, e também foi baixista do Raul Seixas, desde o LP “Krig-há Bandolo” de 1973 até o LP de 1988 “A Pedra do Gênesis”, mas enfim, é isso pessoal, LONGA VIDA AOS BLUE CAPS!!!!

MANENHAM A FÉ!!!!!!



1965 - Isto é Renato e seus Blue Caps

Disco lançado logo após o início do programa "Jovem Guarda", e que reúne um grande número de sucessos do grupo. É o LP mais vibrante de Renato e Seus Blue Caps. Disco feito para baile, inspirado em Beatles e em tudo o que era moderno. Aqui, Paulo Cezar se firma como vocalista principal, e a banda encontra o estilo que marcaria sua carreira.
As músicas "Aprenda a me conquistar" e "Preciso ser feliz" entraram na trilha sonora do filme "Rio, verão e amor", rodado em 1966.
É o disco que traz o maior número de versões de músicas dos Beatles; foram quatro no total.

01 - Voce Nao Soube Amar
02 - Feche os Olhos
03 - O Escandalo
04 - O Fugitivo
05 - Preciso ser Feliz
06 - Eu Sei
07 - Meu Primeiro Amor
08 - Aprenda a me Conquistar
09 - Espero Sentado
10 - Sou tao Feliz
11 - Esqueça e Perdoe
12 - Orgulho de Menina

DOWNLOAD


1966 - Um Embalo com Renato e seus Blue Caps

Disco de maior êxito e vendagem da banda. Com "Um Embalo...", Renato e Seus Blue Caps emplaca vários sucessos e conquista a juventude brasileira. Quase todas as músicas do álbum tornam-se bastante populares. É Um disco feito com inspiração e talento; um dos mais importantes da década, retrato fiel do Pop brasileiro em 1966; enfim, um marco na História do Rock nacional.

01 Meu Bem Não Me Quer
02 Pra Você Não Sou Ninguém
03 Até o Fim
04 Sim, Sou Feliz
05 Gosto de Você
06 Perdi a Esperança
07 Primeira Lágrima
08 Dona do Meu Coração
09 Não Te Esqueçerei
10 Vivo Só
11 Não Quero Ver Você Chorar
12 A Garota Que Eu Gosto

DOWNLOAD


1967 - Renato e seus Blue Caps

Após o sucesso do disco anterior, Renato e Seus Blue Caps lança este ótimo álbum, alternando baladas românticas com excelentes rocks, ao melhor estilo da segunda metade dos anos 60.
"Ana", versão feita em cima da gravação dos Beatles, de 63, foi a faixa de maior destaque, provando que muitas vezes, as versões dos Blue Caps saíam melhores do que as originais em inglês.

01 - Este Amor Me Faz Sofrer
02 - No Dia Em Que Jesus Voltar
03 - Não Posso Me Controlar
04 - A Saudade Que Ficou
05 - Menina Feia
06 - Não Me Diga Adeus
07 - Vou Subir Bem Mais Alto Que Você
08 - A Irmã do Meu Melhor Amigo
09 - Tem Que Ser Você
10 - Ana
11 - Um é Pouco, Dois é Bom, Três é Demais
12 - Lar Doce Lar

DOWNLOAD

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Mod Fave Raves - Volumes 1 e 2

Esta semana trago os dois volumes do Soul Clássico Modernista. Espero que gostem!!





Volume 01

1. Money (That's What I Want) - Barrett Strong
2. Too Many Fish In The Sea - The Marvelettes
3. Needle In A Haystack - The Velvelettes
4. 6x6 - Earl Van Dyke
5. Leaving Here - Eddie Holland
6. I'll Always Love You - Detroit Spinners
7. Can You Jerk Like Me? - The Contours
8. One Way Out - Martha & The Vandellas
9. One More Heartache - Marvin Gaye
10. I Heard It Through The Grapevine - Gladys Knight & The Pips
11. Number One In Your Heart - The Monitors
12. Baby I Miss You - Tommy Good
13. All For You - Earl Van Dyke
14. He Was Really Saying Something - The Velvelettes
15. First I Look At The Purse - The Contours
16. Going To A Go-Go - The Miracles
17. Baby Don't Do It - Marvin Gaye
18. Hitch Hike - Martha Reeves & The Vandellas
19. Hey Harmonica Man - Stevie Wonder
20. Every Little Bit Hurts - Brenda Holloway

download



Volume 02

1. Soul Stomp - Earl Van Dyke
2. Come On Do The Jerk - Miracles
3. Motoring - Martha Reeves & The Vandellas
4. Just A Little Misunderstanding - Contours
5. I'll Keep Holding On - Marvelettes (The)
6. I Can't Help Myself - Four Tops (The)
7. Just Ain't Enough Love - Isley Brothers (The)
8. I Know I'm Losing You - Temptations (The)
9. Just Walk In My Shoes - Gladys Knight & The Pipes
10. Function At The Junction - Shorty Long
11. Take Me In Your Arms - Kim Weston
12. You're Gonna Love My Baby - Barbara McNair
13. I Gotta Dance To Keep From Crying - Miracles
14. Tune Up - Junior Walker & The All Stars
15. Love Is Like An Itching In My Heart - Supremes (The)
16. Heatwave - Martha Reeves & The Vandellas
17. Little Miss Sweetness - Temptations (The)
18. Helpless - Kim Weston
19. From Head To Toe - Chris Clark

download

Mantenham a fé e até semana que vem!

domingo, 10 de outubro de 2010

Morre Solomon Burke,rei do rock e do soul


Fonte G1


O cantor norte-americano Solomon Burke morreu neste domingo (10) de manhã quando chegava de avião a Amsterdã, vindo de Los Angeles.

Ainda não estava claro se ele morreu no avião ou depois de chegar à capital da Holanda.

Suspeita-se que ele tenha tinho um ataque cardíaco ainda dentro da aeronave.

Seus amigos e familiares, no entanto, afirmam que Burke morreu de causas naturais pouco depois do pouso.

Burke, que era conhecido como 'o rei do rock'n soul', iria fazer um show na terça-feira à noite.

Nascido em 21 de março de 1940 na Filadélfia, ele fez sucesso de público com "Everybody needs somebody to love", do filme "Blues Brothers" (Os irmãos cara-de-pau), de 1980, e também emplacou canções como "Cry to me", "Just out of reach (of my two open arms)" e "Got to get you off my mind".

Burke, vencedor do Grammy e membro do Hall da Fama do Rock and Roll, ele também era conhecido por ser um show man no palco.

Para o produtor Jerry Wexler, Burke era "o melhor cantor de soul de todos os tempos", segundo a biografia do cantor no Hall da Fama do Rock.

A fase principal de sua carreira ocorreu na década de 1960, mas a vitória no Grammy em 2002, pelo álbum 'Don't give up on me', garantiu um revival ao cantor.

sábado, 9 de outubro de 2010

Homenagem de Ringo Starr aos 70 anos de John Lennon

John Lennon completaria 70 anos neste sábado


Fonte Terra




PARIS, 8 Out 2010 (AFP) -John Lennon estaria completando 70 anos neste sábado e de Liverpool a Nova York, passando por Reykjavik, as iniciativas se multiplicam para festejar o ex-Beatle, para quem foram dedicadas exposições, shows e cerimônias em sua homenagem.
Berço da Beatlemania e terra natal do "working class hero", Liverpool fará a maior homenagem, que vai durar dois meses, com mais de vinte eventos programados.

De sábado a 9 de dezembro, dia seguinte ao 30º aniversário de sua morte, o artista britânico terá apresentações musicais, entre elas uma organizada pela orquestra filarmônica real da cidade, um tour pela Liverpool de John Lennon, sessões de leituras, espetáculos no Cavern Club, onde os Beatles foram descobertos...

Um monumento pela paz deve também ser inaugurado no local no sábado por um de seus filhos, Julian, e por sua primeira esposa Cynthia.

A cidade do norte da Inglaterra não é a única a festejar o homem que compôs canções como "Imagine", em solo, ou "Yesterday", "Michelle" e "She Loves You" com os "quatro rapazes".

Na Islândia, sua última companheira, Yoko Ono, acenderá no sábado perto de Reykjavik a torre "Imagine Peace", memorial que ela dedicou a ele, e a Yono Ono Plastic Band, que foi trazida de volta no ano passado com seu filho Sean Ono Lennon, fará uma apresentação.

Em Nova York, onde Lennon foi assassinado no dia 8 de dezembro de 1980 depois de ter vivido nela por quase dez anos, uma "festa de aniversário de 70 anos de John Lennon" será realizada no sábado em City Winery com as apresentações de várias de suas músicas, antes de um grande show no dia 12 de novembro, no qual se apresentarão, por exemplo, Patti Smith e Cyndi Lauper.

Ainda nos Estados Unidos, o Hall da Fama do Rock and Roll, em Cleveland, também celebra este aniversário com várias manifestações, entre elas a exibição de imagens da cerimônia de inclusão de Lennon, como Beatle, em 1988, e depois como artista solo, em 1994.

Na França, o livro de fotografias dos anos nova-iorquinos do artista, captadas por seu antigo vizinho Bob Gruen, foi inaugurada, com o título "John Lennon, Nova York 1971-1980".

"Esta obra é uma oportunidade para mostrar o seu período americano. Era um vizinho discreto. Ele gostava de poder ir à rua tranquilamente, longe da multidão", contou Bob Gruen à AFP, que foi amigo de John Lennon.

A gravadora EMI lançou um box de onze discos com seus álbuns solo remasterizados e demos em estúdio inéditas.

Há algumas semanas, o assassino de John Lennon, Mark David Chapman, teve recusado pela sexta vez um pedido de liberdade condicional. Ele tinha sido condenado em 1981 à prisão perpétua.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Beto Nickenhorn & Os Caras - 2005


Encerrando oficialmente a Semana Beto Nickhorn, nos despedimos no dia do aniversário deste que é considerdo o Pai dos Modernistas Gaudérios com mais um álbum para download, gravado em 2004. Espero que gostem!


01. Quero me divertir

02. Tudo vai mudar

03. Adeus às ilusões

04. Não vou me estressar

05. Pessoas estranhas

06. Será que um dia eu vou crescer?

07. Entre a dúvida e a razão

08. Diálogos

09. Você já pode


Mantenham a fé e até semana que vem!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Beto Nickhorn, o Modfather dos Pampas (entrevista exclusiva)

Este músico e publicitário há mais de vinte anos faz parte da história do Rock gaúcho, e é por muitos (e por nós também) considerado o ModFather dos Pampas. A poucas horas de completar seus 44 anos de vida, Beto Nickhorn nos concede esta entrevista exclusiva, onde fala um pouco da sua carreira como músico e como modernista.



M&M's: Desde já eu agradeço, Beto, tu é um amor, pai! Eu queria que tu me contasse como começou a tua relação com a música ou, a partir de que momento e como a música entrou na tua vida?

betonickhorn: Bem, foi lá por 1976 quando eu ouvi Help! pela primeira vez...foi emocionante. Mas a minha paixão pelos "bítols" começou em 1980. Daí por diante comecei a aprender a tocar e fui levando, a música é a coisa mais importante na minha vida,depois de minha familia, é claro! No início eu achava que ia ser baixista, mais pelo meu físico, mas acabei sendo um guitarrista por comodidade. Guitarra é mais facila de tocar sozinho, ehhee. Em 1983 passei em uma livraria e vi um livro com a biografia do The Who e me identifiquei com uma foto de 1965. Achei muito legal aquele visual, de cabelo curto, penteado para frente com jaquetas com medalhas e camisetas com símbolos, achei MODerno, mesmo alguns anos depois. Algum tempo depois um amigo meu falou sobre uns tais mods, gurizada da classe operaria inglesa que gostava de se vestir bem. Aí foi se formando a lenda. Ouvia muito Who, conheci Small Faces e Kinks, e lógico, no final de 1985 comprei o primeiro disco do Ira! que tenho até hoje. Cada vez mais essa contracultura se aproximava de mim. Ouvia também muita coisa conteporanea como Clash, Smiths, R.E.M. etc...Conheci o Jam mesmo só em 1987 nos Estados Unidos, onde morei por um ano. Era o clip de Town Called Malice. Eu conheci o Style Council antes, e achei muito semelhante, heheheh, caminho inverso...Nos anos 90, voltei a ouvir rock 60 como Troggs, Kinks, Small Faces, Love etc...Tinha uma banda chamada Dellips, que fazia um som mais underground de 1989 a 1993, depois formei a Lovecraft com o Plato [Divorak], que durou até 1998, nessa época comecei a conhecer outras bandas brasileiras mais sixties mod como o The Charts e Relespública. A Lovecraft tinha influencia mod entre outras, como Stooges e MC 5, Pink Floyd e Nick Drake. Em 1989 entrei para os Hipnóticos, que levou essas raízes mais radicalmente. Tocamos em vários lugares e entramos no circuito mod br. Saí da banda em 2002, e aí fundei o meu trabalho solo: Beto Nickhorn & Os Caras, levando muito a sério as raízes mod, especialmente Who e Ira! com pitadas soul e Jovem Guarda trabalho ficou ativo até 2007 e agora está na geladeira (heheheh. Pro ano que vem tenho alguns projetos, que ainda estao em desenvolvimento. Quanto aos instrumentos que eu uso... eu tive alguns intrumento mas tenho verdadeira paixão por fender stratocaster e rickenbacker 330 e amplificadores Marshall sem pedal nenhum, só o drive original, hehehe, acho que é isso aí... que eu me lembre.

M&M's: ok, tu respondeu numa tacada só quase todas minhas perguntas, rsrsrs. Como tu definiria o MOD hoje em dia?

betonickhorn: Hoje em dia não é mais um movimento (mundialmente falando). Cada um tem uma concepção diferente, existem muitas correntes diferentes e todas estão "certas" do seu modo. Mas, para mim, mod é uma coisa individual (ou individualista). Nunca fui muito de fazer gang e todo mundo se vestir igual e condenar quem é diferente, esse não é o caminho. Não existem regras e no fim de tudo o Ira! estava certo... "Niguém entende um mod", nem ele mesmo, hehehehe.

M&M's: é vero, rsrs. Tu diria que hoje em dia nós, que nos auto-titulamos modernistas, nos afastamos do Mod original, do que era a sub-cultura na sua essência?

betonickhorn: Ah sim, mas isso é uma questão de época. Os originais eram ingleses e o "movimento" acabou no ano em que eu nasci, e para mim só ouve um outro movimento legítimo
que foi o Revival de 79, mas tinha um ótica diferente dos originais, eram mais próximos dos punks,depois disso só tiveram pequnas manifestações em vários países mundo afora, tipo no Japão, Espanha, Chile, etc... Atualmente tenho ouvido muito uma banda dinamarquesa chamada "The Movemnt" que mistura Jam com Clash com muita velocidade e a banda russa White Trainers Commuinty, que é bem The Jam. Tenho ouvido uma banda espanhola bem legal chamada Art School. É isso!

M&M's: Qual a tua opinião a respeito dos "novos" MODS de hoje em dia que vemos por aí?

betonickhorn: Existem alguns? Hehehehehe. Conheço alguns mods verdadeiros, mas eles não gostam de ser assim chamados, ahahhaah. Mas aqui em POA [Porto Alegre] nunca houve uma cena mod propriamente dita, aqui é mais rock, mais britpop. Sp e curitiba seguem melhor a cartilha, eu acho.

M&M's: neste ponto concordo contigo...

betonickhorn: E bandas mods atuais acho que só tem os Modulares e Os Chuvas (que recem estão gravando uma demo).

M&M's: Estão mesmo. E como surgiu o título Mod Father dos Pampas? Como tu te sente sendo considerado o pai dos MODS gaúchos?

betonickhorn: Hehehehe, acho que fui uns dos primeiros a se intitular assim.
O apelido de modfather foi o Leonardo Bomfim que me deu (acho) na época da Brahmod [antiga festa da noite porto alegrense] e fiz parte da geração de 99 que trouxe a tona o termo mod, como a Cachorro Grande (apesar de não serem), mas o visual deles confundiu muito as pessoas, hehehehe.

M&M's: E ainda confunde, não é mesmo?

betonickhorn: Sim, mas eles tinham aquela atitude raivosa no palco, lembrando o Who,
assim como os Hipnóticos, na qual o Gross [Marcelo, guitarrista da Cachorro Grande] tocava. Gritos e microfonia. Agora eles mudaram um pouco o rumo.

M&M's: Verdade.

betonickhorn: Eles vivem disso. Tem que mudar para sobreviver, né?

M&M's: Depende, hehehehe.

betonickhorn: Sim, mas eu, pro exemplo, ganho meu dinheiro com publicidade e com minha música, sou idealista, mas viver de musica é foda, nas duas maneiras.
Não percam logo mais nosso próximo post! Keep the faith!

Renato e seus Blue Caps - 1963, 1964

Bom, nesta quinta feira eu ia postar apenas UM album dos Blue Caps, nós do MMs pensamos melhor, todas as quintas vamos postar três álbuns dos Blue Caps, até completar a discografia completa, esta semana vamos postar o segundo LP que cujo não tem título, é um disco histórico, estreiando o substituto de Ed Wilson, Erasmo Carlos, na guitarra rítmica e asumindo os vocais, e também o novo baterista, Tony, depois entra Carlinhos na guitarra rítmica e Erasmo Carlos sai do grupo, e substituindo Roberto Simonal no sax, entra Cid Chaves, o grupo assina contrato com a gravadora CBS em 1964 e lançam o seu primeiro compacto duplo pela gravadora, e depois no mesmo ano, lançam o LP “Viva a Juventude”, incluíndo a participação de Erasmo Carlos nos vocais!!!

MANTENHAM A FÉ ATÉ QUINTA!!!!


1963 - Renato e seus Blue Caps

Um disco bem superior ao primeiro, tanto em qualidade de som como artística. Com apenas 10 faixas, é um disco gravado com garra e inspiração. O vocal de Erasmo em "What I'd say" é o retrato fiel dos jovens do subúrbio que curtiam Rock. Inglês enrolado na hora de cantar, espontaneidade e vontade de ganhar algumas garotas. Com este LP, Renato e Seus Blue Caps começava a despertar a atenção dentro do cenário musical.


Formação:

Erasmo Carlos: Guitarra Rítmica e Vocal;

Renato Barros: Guitarra Solo;

Paulo Cezar Barros: Contrabaixo;

Roberto Simonal: Sax;

Tony: Bateria


01 Limbo Rock

02 Walking My Baby Back Home

03 Estrelinha (Little Star)

04 O Lobo Mau (The Wanderer)

05 Comanche

06 Boogie do Bebê (Baby sittin' Boogie)

07 Ford de Bigode

08 What'd I Say

09 Relax

10 Stand Up

DOWNLOAD

1964 - Compacto

Primeiro compacto dos Blue Caps lançado pela gravadora CBS, incluindo 4 faixas, e com nova formação


Formação:

Renato Barros: Guitarra Solo;

Paulo Cezar Barros: Contrabaixo;

Carlinhos: Guitarra Rítmica;

Cid Chaves: Sax;

Tony: Bateria


01 - Vera Lucia

02 - We Like Birland

03 - Bigorrilho

04 - Noturno em Mi Bemol

DOWNLOAD

1964 - Viva a Juventude

Primeiro LP pela CBS, "Viva a Juventude!" foi também o primeiro trabalho de repercussão de Renato e Seus Blue Caps. A música "Menina Linda" foi o grande destaque do disco. O ex-integrante Carlinhos tem uma lembrança curiosa das gravações de "Viva a Juventude!": "Era uma festa, quando abria o microfone, todo mundo cantava junto, como se fosse um bloco de carnaval".
O LP traz também as primeiras versões dos Beatles em português, feitas por Renato Barros.
É possível também identificar a voz de Erasmo Carlos em algumas faixas; embora o tremendão já tivesse deixado o conjunto para seguir carreira solo.


Formação:

Renato Barros: Guitarra Solo;

Paulo Cezar Barros: Contrabaixo;

Carlinhos: Guitarra Rítmica;

Cid Chaves: Sax;

Tony: Bateria


01 - Negro Gato

02 - Menina Linda

03 - Tremedeira

04 - Querida Gina

05 - Sou Feliz Dançando com Voce

06 - Gatinha Manhosa

07 - Canto pra Fingir

08 - Garota Malvada

09 - Os Costeletas

10 - Fruit Cake

11 - Loop The Loop

12 - Vera Lucia

DOWNLOAD

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Paul Weller se casa em cerimônia secreta na Itália




Paul Weller se casou pela 2ª vez semana passada na ilha italiana de Capri, informa o reporter o jornal inglês The Sun.


Weller "colocou a algema" com sua backing vocal Hanna Andrews, tendo noivado com ela em abril deste ano. Weller e Andrews se conheceram durante as gravações do álbum '22 Dreams' em 2008, no que depois ela se juntou ao legendário membro do The Jam em sua turnê. Sobre os rumores de um possível casamento, Weller declarou: "É engraçado pensar que depois de todos esses anos eu finalmente encontrei minha alma gêmea. Tudo o que eu posso dizer é que estou muito, muito apaixonado".


De acordo com uma fonte do The Sun, a cerimonia italiana era a ocasião privada que o casal desejava. "Paul não queria um casamento público", segundo a fonte. "Ele e Hanna concordaram em convidar apenas uns poucos parentes e amigos. Eles não queriam fazer muito alarde sobre isso".


A notícia vem como mais uma novidade na vida de Weller, que este ano alcançou enorme sucesso com o lançamento do álbum 'Wake up the nation', que foi indicado ao prestigioso prêmio Mercury de música, em sua primeira indicação desde 1994.

Beto Nickhorn & Os Caras - 2009

Abrindo os trabalhos esta semana para a "Semana Oficial Beto Nickhorn" trago o mais recente trabalho deste que é considerado o Modfather dos pampas. Aguardem os posts supresa ao longo da semana.




01. Quero me divertir

02. Diálogos

03. Adeus ilusões

04. Sozinho no verão

05. Você é especial

06. Despedida

07. Tudo vai mudar

08. Será que um dia eu vou crescer


Keep the Faith!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

3 de Outubro - Morre ED WILSON


O MMs lamenta imformar a morte de um grande ícone da Jovem Guarda, ED WILSON, o ex-Blue Cap, irmão de Renato e Paulo Cezar, aos 65 anos, faleceu neste domingo, dia 3 de Outubro, membro do grupo The Originals junto com o irmão Paulo Cezar, aqui vai vai a homenagem do MMs pra o Edinho (como sempre foi chamado) com o seu ÚNICO LP na carreira solo lançado na época da Jovem Guarda, em 1966 pela CBS, DESCANSE EM PAZ EDINHO!!!
Edson Cosme Vieira de Barros - 29/07/1965 - 03/10/2010

Ed Wilson - Verdadeiro Amor - 1966 - CBS


01 - Sandra
02 - Pode Ir Para o Seu Novo Amor
03 - Cantemos o Hi-Ho
04 - Verdadeiro Amor
05 - Vou Partir
06 - Não Sei Viver Sem Teu Amor
07 - Se Você Quer
08 - O Homem do Cigarro
09 - Não Sei Porque
10 - Volte Querida
11 - Lembre do Meu Amor
12 - Eu Queria Esquecer

DOWNLOAD