terça-feira, 19 de julho de 2011

Nick Knight: De Skinhead a Fashionista*

*Texto que eu publiquei no blog Ensaios no dia 14/06/11

Creio que nunca antes na história da fotografia conhecemos um profissional que mudou de água para o vinho, como é o caso do inglês Nick Knight.

Em 1982, no auge da rebeldia e junventude pautada pela então primeira ministra britânica Margaret Tatcher, pelo surgimento de partidos de ultra-direita como o National Front e, ainda em 69 pela junção dos imigrantes jamaicanos com os jovens ingleses que curtiam ska e reggae, Knight fotografa e publica seu primeiro livro, Skinhead.


O livro e seus maravilhosos retratos em preto e branco chamam a atenção de Marc Ascoli, que lhe concede a primeira oportunidade de fotografar um catálogo para um famoso designer. A partir de então, passou a fotografar tanto editoriais de moda quanto campanhas publicitárias. Seus clientes vão desde o falecido Alexander McQueen, até os cristais Swarovski, passando por Audi e Lancôme, entre outras marcas famosíssimas.

Em 2011 inicia sua carreia como diretor, dirigindo o controverso videoclipe "Pagan Poetry" da cantora Björk. Seu boom se deu este ano com a direção do videoclipe de "Born this way" de Lady Gaga.


Um dos seus projetos mais polêmicos é baseado, junto com a perfumista Sissel Tollas, na criação de uma fragrância que exale o odor da violência. Todo o processo foi documentado na internet no site Violence da Show Studio.


Diferentemente do seu conterrâneo e contemporâneo Gavin Watson, Knight acaba criando raízes em tudo aquilo que a sub-cultura do skinhead vem ojerizando há tantos anos. Apesar da linguagem própria que suas fotografias imprimem, é clara a influência que Helmut Newton e Guy Bourdin têm tido em seu trabalho.

Knigth apesar da mudança brusca é considerado um fotógrafo visionário que teria desafiado as convenções estéticas sobre beleza.

Livro Skinhead por Nick Knight - Editora Omnibus Press. R$ 33,20 na Livraria Cultura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mesmo com a moderação de comentários, use seu bom senso. Caro (a) anônimo (a), por favor, identifique-se no comentário!