sábado, 31 de março de 2012

Sixties Afro Hairstyle

Há um tempo eu vinha pensando em fazer um post sobre este assunto, e ontem à noite assistindo ao filme Dreamgirls em um dos canais Telecine me decidi de vez. Então, pesquisando sobre  sixties afro hairstyles descobri que na década de 1960 devido à forte segregação racial que imperava, as coisas eram bem distintas umas das outras.

Assumir os cachos era assumir sua raiz, sua cultura negra, era ir contra os padrões de beleza Euro-Americanos impostos até então. O movimento cultural Black Is Beautiful, que visava trazer maior esclarecimento e consciência sobre o ser negro num País opressor como os Estados Unidos, foi o precursor do movimento pela consciência negra, o que levou muita gente a assumir o estilo natural de seu cabelo. O cabelo black power era largamente utilizado por representantes de movimentos políticos pelo fim da segregação racial como Angela Davis, Elaine Brown e os membros do Partido dos Panteras Negras.

Os cabelos alisados graças aos vários métodos presentes no período era sinônimo de ir à favor da "corrente branca" que imperava na mídia e na moda. Atrizes e cantoras como Martha Reeves & The Vandellas, Nichelle Nichols, Eartha Kitt, The Crystals, The Supremes, entre várias outras, assumiam o estilo para que houvesse uma maior identificação com o público, em sua massiva maioria, branco. E para alcançar este objetivo, valia de quase tudo: produtos químicos, perucas, chapinha e até mesmo, ferro de passar roupas. Na verdade, o processo de alisamento vem de tempos remotos, pelo menos, desde o tempo da escravidão nos EUA, onde as mulheres negras alisavam seus cabelos de modo a ficarem parecidas com suas senhoras brancas (!!).

Na década de 1970 o negro imperou de vez, e muito branco começou a assumir seus cachos por aí. Pam Grier, a musa dos filmes Blaxploitation foi uma das maiores influências estéticas para os cachos que vemos por aí. Lauryn Hill, Macy Gray, Cindy Blackman, e a vocalista do The Noisettes, citando alguns exemplos, são algumas das mulheres que ostentam com orgulho a cabeleira encaracolada.

Liso ou cacheado, não importa. O que importa é a beleza única e o estilo que os homens e mulheres negros da década de 1960 trouxeram para nós e que até hoje é motivo de admiração, afinal Black Is Beautiful!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mesmo com a moderação de comentários, use seu bom senso. Caro (a) anônimo (a), por favor, identifique-se no comentário!