sábado, 28 de janeiro de 2012

Qual é o segredo da Sta Prest?

Com certeza o segredo da calça Sta Prest deve ser o caimento e a costura que valorizam o bumbum masculino mundo afora.

A "stay pressed" é fabricada desde 1964 pela Levi's, e possui uma grande sacada: ela pode ser usada tirada direto da secadora, não encolhe e não precisa tirar marcas de amassado com o ferro quente. Com o corte mais slim, puxando para o skinny esta calça é mod style e simplesmente perfeita para camisas com botões fechados até a gola combinadas com um par de mocassins, oxfords ou botas cubanas muito usadas pelos The Beatles em início de carreira.

Atualmente a Merc está vendendo calças neste modelo em 4 cores diferentes (preto, vinho, creme e azul marinho). Lojas de shopping eletrônico como o Ebay igualmente vende calças produzidas por marcas como Lee, Wrangler e Levi's.







quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Los Bravos - Black Is Black (1966)

Los Bravos foi a primeira banda espanhola a fazer sucesso fora da Europa, sucesso este alcançado até mesmo no Brasil com a eternamente dançante Black is Black.


Formada pela junção de Los Sonor com o The Runaways, Los Bravos era formado pelo alemão Mike Kogel nos vocais, e pelos espanhóis Antonio Martinez na guitarra, Manuel Fernandez nos teclados, Miguel Danuz no baixo e Pablo Gomez na bateria.

O vocal de Kogel cujo timbre lembrava muito a voz de Gene Pitney e as músicas em maior parte animadas e dançantes foram os fatores que contribuíram para o sucesso da banda. O single Black is Black, lançado em 1966, alcançou o 2º e o 4º nas paradas do Reino Unido e dos Estados Unidos, respectivamente. O sinle seguinte I don't care alcançou nº 16 no Reino Unido, levando a banda a se apresentar no Festival de Música de Sanremo. Em 1967 e em 1968 a banda fez parte de dois filmes espanhóis: Los chicos con las chicas dirigidor por Javier Aguirre e ¡Dame un poco de amooor...! dirigido por José Maria Forqué e Francisco Macián. A banda foi marcada por duas tragédias em tempos diferentes, em 1967 o tecladista Manuel Fernandez comete suicídio aos 23 anos de idade, após a morte da noiva em um acidente de carro e em 1990 o guitarrista Antonio Martinez morre num acidente com motocicleta ao ir para seu escritório.

As músicas cantadas em inglês, somados com o vocal animado de Kogel e ritmo na maior parte dançante, com arranjos bem pontuados pelos teclados são o que garantem o sucesso deste álbum em qualquer festa ou coletânea sixties.




Los Bravos - Black Is Black (1966)

01. Black is Black
02. Trapped
03. Baby, Baby
04. Make It Easy For Me
05. She Believes In Me
06. I Want A Name
07. I Don't Care
08. Stop That Girl
09. I'm Cuttin' Out
10. Don't Be Left Out In The Cold
11. You Won't Get Far
12. Baby, Believe In Me


Mantenham a fé e até amanhã!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

And now...um recado dos nossos patrocinadores - Barbie Dream House & Furniture

Acho que tem coisas que nunca mudam. Uma delas é o encantamento de milhares de meninas pelas bonecas Barbie, passados mais de 50 anos de seu lançamento.

Sinônimo de versatilidade e independência (afinal a boneca tem várias profissões, anda na moda e é linda), uma das poucas coisas que continua tradicional é o fato da boneca ser a representação da mulher imaculada, quase que uma super-heroína com uma espécia de aura santificada. Dissertação de mestrado ou não, paradoxalmente é isso o que nós meninas aprendemos a partir do momento em que ganhamos nossa primeira boneca Barbie.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

The Yardbirds - For Your Love (1965)

The Yardbirds foi uma banda que teve o mérito de lançar nada menos do 3 guitarristas que sempre figuram na lista dos Top Ten melhores guitarristas da história da música: Eric Clapton, Jeff Beck e Jimmy Paige (números 2, 5 e 3 respectivamente de acordo com a revista Rolling Stone).



A banda começou sua carreira em 1963 ainda com Clapton, fazendo inúmeros covers de blues. Em 1964 lança os covers de I wish You Would e Good Morning School Girl sem muito alarde. O sucesso veio com o lançamento de For Your Love que vendeu mais de 1 milhão de cópias, ganhando um disco de ouro. Clapton, que na época era um fã purista do blues acabou deixando a banda em maio de 1965 para juntar-se a John Mayall, em seu lugar entra então Jimmi Paige. Paige sabendo que teria que largar seu trabalho garantido como guitarrista de estúdio e também preocupado com sua saúde convida Jeff Beck para juntar-se ao grupo. A banda era então composta por Keith Relf no vocal e na harmônica, Paul Samwell-Smith no baixo, Jim McCarthy na guitarra e Chris Deja na guitarra e baixo. Beck juntou-se ao grupo logo depois da saída de Clapton, e Jimmy Paige somente em 1966, quando aceitou tocar baixo depois que Paul Samwell-Smith tornou-se produtor musical. Neste mesmo ano Beck é demitido da banda, e a partir daí o sucesso já não é o mesmo.

Em 1967 a banda em certo "declínio", eles raramente tocavam os singles nos shows, preferindo um repertório entre o que foi lançado na época em que Beck estava com eles e alguns covers de blues. No começo de 1968 na época de lançamento do single My Sweet Josephine as divergências musicais estavam claras, e a banda se apresentou pela última vez em 07 de julho daquele mesmo ano. Em 1968, Paige junta-se com outros quatro amigos e forma o Led Zeppelin, que impulsiona sua carreira. Nos anos seguintes Keith juntou-se a uma série de grupos que continham as mais vastas influências que iam desde o blues até o progressivo, passando pelo heavy metal e pelo folk. Chris Deja já demonstrava um grande interesse em fotografia ainda na época do Yardbirds e também seguiu por este rumo (é dele a capa do 1º álbum do Led Zeppelin). Jim McCarthy havia formado a Illusion com Keith Relf, gravando um álbum antes da morte deste em 1976. Em 1992 o Yarbirds volta a tocar, porém somente com Deja e McCarthy como membros originais e continua se apresentando em clubes. Notícias mais atualizadas sobre a banda podem ser encontradas no site oficial.

Uma curiosidade mórbida paira acerca da morte de Keith Relf, o vocalista morreu eletrocutado em sua banheira enquanto tocava sua guitarra elétrica em 1976. Quando seu filho Danny encontrou seu corpo, o músico ainda estava usando os fones de ouvido.


The Yardbirds - For Your Love (1965)


01. For Your Love
02. I'm Not Talkin'
03. Putty (In Your Hands)
04. I Ain't Got You
05. Got To Hurry
06. I Ain't Done Wrong
07. I Wish You Would
08. A Certain Girl
09. Sweet Music [take 3]
10. Good Morning Little Schoolgirl
11. My Girl Sloopy
12. Baby What's Wrong (bonus)
13. Boom Boom (bonus)
14. Honey In Your Hips (bonus)
15. Talkin' 'Bout You (bonus)
16. I Wish You Would [long version] (bonus)
17. A Certain Girl [alternative take] (bonus)
18. Got To Hurry [take 4] (bonus)
19. Sweet Music [take 4] (bonus)
20. Heart Full Of Soul [sitar version] (bonus)
21. Steeled Blues (bonus)
22. Paff Bumm [german issue] (bonus)
23. Questa Volta (bonus)
24. Paff Bumm [italian issue] (bonus)


Mantenham a fé e até amanhã!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Liks recuperados - Lista 1

Olá, queridos leitores!

Este fim-de-semana alguns poucos links puderam ser recuperados. Estou migrando para o 4 shared, então acredito que até o próximo fim-de-semana quase 100% de tudo o que foi perdido estará de volta. Agradeço a compreensão de todos!

  • Lily Allen, Amy Winehouse e No Doubt - The Ska EP - aqui
  • Power Pop Lovers - Meet the Beatlesque - aqui
  • Quadrophenia Soundtrack - aqui
  • Take My Tip - 25 British Mod Artefacts From EMI Vaults - aqui
  • The Small Faces - The Small Faces (1966) - aqui
  • The Upper 5th - Take the fifth (2008) - aqui
  • Pachuco Soul! (2004) - aqui
  • Quagmire Vol 2 - aqui
  • The Artwoods - Art Gallery (1965) -aqui
  • The Kinks - The Kinks (1964) - aqui
  • The Shadows of Knight - Gloria (1966) - aqui
  • The Music Machine - The Ultimate Turn On (2006) - aqui

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Atualizado: Morre Etta James

Foto Agência AP

Fonte G1

A cantora Etta James morreu nesta sexta-feira (20) aos 73 anos de idade. Ela sofria de leucemia terminal e morreu ao lado de seu marido Artis Mills e de seus filhos, segundo o empresário e amigo de longa data da artista, Lupe De Leon.

Nascida em 25 de janeiro de 1938 em Los angeles, a artista foi diagnosticada com a doença em 2010, e também sofria de demência e hepatite C. Ela morreu em um hospital de Riverside, na Califórnia.

Lupe De Leon, que trabalhou como empresário da cantora por 30 anos, afirmou que "é uma tremenda perda para a família, seus amigos e fãs ao redor do mundo. Ela conseguia cantar tudo. Sua música desafiava a categorização".

Etta James, cujo nome verdadeiro era Jamesetta Hawkins, começou sua carreiraem 1954 e, no ano seguinte, emplacou a canção "The wallflower (roll with me, Henry)" no topo das paradas de r&b. Ao longo dos anos, lançou hits como "Dance with me, Henry", "Tell mama", and "I'd rather go blind", mas seu maior sucesso é "At last", que pertence ao disco de mesmo nome lançado em 1960.

Morre Etta James

Acabei de receber a notícia do falecimento da atemporal Etta James a apenas 5 dias de completar 74 anos de vida. Mais informações em breve.

Protesto contra SOPA e PIPA


A arte e a cultura deixam a vida mais suportável, porém, prevemos tempos difíceis.

Desde tempos quase "imemoriais" existe pirataria no que se refere à produção cultural. Nos tempos de vinis e vitrolas o meio mais barato e eficiente eram cópias através de fitas K7, nos dias de hoje, são incontáveis formas. Assim foi também com VHS, com o xerox de livros, cópias de cds e dvds, etc etc. Com o advento da internet a distribuição daquilo que é chamado de direito autoral se tornou, logicamente, uma piada devido às inúmeras facilidades.

Sejamos claros, caros leitores, fechamentos mesmo que temporários de sites de armazenamento de arquivo tem pouca ou quase nenhuma relação com a pirataria, tem haver com a coibição da liberdade de expressão na internet, o meio de comunicação mais democrático da atualidade.

Em momento algum na história da música vocês verão uma banda acabar porque a pirataria tornou insustentável sua continuação, porque esta não vende seus cds. Jamais será visto um artista que desiste de sua carreira com medo de ter seu trabalho distribuído (sim, a palavra é distribuído, no momento em que se paga, você não distribui nada, você compra) na internet.
Entendam, a partir do momento em que se paga pela cultura, ela deixa de ser "popular". Cultura se tornou propriedade privada, mediante pagamento via cartão de crédito e muitas vezes para uma elite absurdamente estúpida. Cultura é direito do cidadão, e assim como saúde e educação, não é algo que você compre em prateleiras. Você tem o direito de pagar pela sua diversão, pelo seu entretenimento, mas este nunca foi sinônimo de cultura.

Entretenimento não é base econômica de nenhum país do mundo, nem na Índia com sua gigante Bollywood. Perdem-se mais empregos pela atual crise econômica mundial do que pelo fechamento de um gigante da indústria fonográfica, e a crise pouco ou de forma alguma está relacionada com a pirataria. Pessoas que distribuem links não financiam o tráfico de drogas. A Apple não vai deixar de ganhar milhões de dólares através do ITunes se continuarmos distribuindo cultura. O SOPA e o PIPA não irão coibir a pirataria na internet, ainda existem inúmeros mecanismos para que isto aconteça. O Creative Commons não tem como finalidade banalizar o licenciamento da produção cultural. Os filtros utilizados pelo Protect IP e pelo SOPA não terão discernimento no que diz respeito à downloads e distribuição, pelo simples fato da palavra download se tornar um alvo em potencial para o fechamento de um site ou bloqueio de um link (por mais que EU seja a autora e permita a distribuição de algo que EU criei), inclusive tudo aquilo que já estiver em domínio público. Estas leis mexerão com a estrutura básica aos domínios da internet, trazendo instabilidade aos mecanismos de buscas e menos segurança virtual aos milhões de usuários mundo afora.

Sites como YouTube, Twitter, Facebook, Orkut, além de outras redes sociais seriam obrigados a censurar seus usuários, pois são responsáveis por tudo aquilo que estes postam, podendo até mesmo ser derrubados, o que atualmente geraria um caos sem precedentes na internet. Governos totalitários teriam ainda mais poder sobre o acesso a certos conteúdos na web, proibindo o acesso a todo e qualquer conteúdo considerado "subversivo" ou "perigoso".

Não vamos permitir que 3 anos de blog sejam jogados fora por uma lei hipócrita e arbitrária que visa censurar a liberdade de expressão e a liberdade criativa que a internet nos proporciona, nós AINDA temos nossos próprios meios de distribuição. Esperamos e contamos com o apoio de todos vocês para que possamos continuar a ter uma internet livre e realmente democrática!

A revolução não será televisionada.

Até a estabilização total do Megaupload, não teremos posts com downloads.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Links do Megaupload

Devido ao fechamento do Megaupload através do SOPA (nova lei anti-pirataria), venho informar que todos os links postados por mim, Penny, estão temporariamente perdidos. Aos poucos vou tentar recuperá-los todos para vocês.

Obrigada pela atenção. Lutem contra o SOPA, além de não coibir a pirataria, trará caos, censura e repreensão à Internet e à liberdade de expressão!

The Artwoods - Art Gallery (1965)

Vivemos num mundo onde infelizmente qualidade nem sempre é sinônimo de sucesso, porém, é muitas vezes sinônimo de reconhecimento. E é exatamente o caso dos britânicos do The Artwoods.

Imagem retirada do site Magic Mac

Apesar do curto tempo de vida (a banda durou de 1964 a 1967), The Artwoods (o nome vem do diminutivo de Arthur Wood - Art Woods) merece estar no hall das maiores bandas britânicas. Conhecidos popularmente como a melhor coisa por vir depois do The Yardbirds e do The Animals, a banda contou com alguns nomes mais ou menos conhecidos no seu line up. A começar pelo próprio Arthur Wood, irmão mais velho de Ronnie Wood (The Faces e The Rolling Stones) e um dos primeiros vocalistas da Alexis Korner's Blue Incorporated. Jon Lord, o tecladista, posteriormente fez fama ao fazer parte do Deep Purple. O baterista Keef Hartley foi o substituto de Ringo Starr na Rory Storm & The Hurricanes na saída deste para os Beatles. The Artwoods contava também com Derek Griffiths na guitarra e Malcom Pool no baixo.

Embora a banda fizesse muitos shows e sua popularidade ao vivo fosse alta, as vendas, entretanto, sempre se mostraram fracas. Este primeiro álbum lançado pelo selo Decca em 1965 é uma jóia valiosíssima. Excelentes covers de r'n'b, além da já consagrada These Boots Are Made For Walkin', pontuados pelo teclado de Jon Lord e pela voz muito cativante de Arthur refletem a qualidade das músicas.

Em 1967 a banda substituiu o baterista Keef Hartley por Colin Martin mudando seu nome para St. Valentine's Day Massacre e logo se desfez. O vocalista Arthur Wood faleceu em 03 de novembro de 2006 aos 69 anos.


The Artwoods - Art Gallery (1965)

01. Can you hear me?
02. Down In The Valley
03. Things Get Better
04. Walk On The Wild Side
05. I Keep Forgettin'
06. I Keep Lookin'
07. One More Heartache
08. Work, Work, Work
09. Be My Lady
10. If You Gotta Make A Fool Of Somebody
11. Stop And Think It Over
12. Don't Cry No More
13. Sweet Mary (bonus)
14. If I Ever Get My Hands On You (bonus)
15. Goodbye Sister (bonus)
16. She Knows What To Do (bonus)
17. I Take What I Want (bonus)
18. I Feel Good (bonus)
19. What Shall I Do (bonus)
20. In The Deep End (bonus)
21. These Boots Are Made For Walkin' (bonus)
22. A Taste Of Honey (bonus)
23. Our Man Flint (bonus)
24. Routine (bonus)
25. Brother, Can You Spare A Dime? (bonus)
26. Al's Party (bonus)


Espero que tenham gostado! Vejo vocês amanhã!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Dissonantes - 2 (2010)

Em 2010 os Dissonantes voltam com uma proposta completamente diferente. Os membros mudam, sai o tão conhecido teclado, entra uma nova guitarra e o som fica mais pesado, porém mais fiel com a nova proposta da banda.

Neste novo disco os destaques são de Camden Town, Boxer e Agosto, esta última, uma baladinha que incorpora bem as novas guitarras.

Nos últimos tempos, o Dissonantes foi Thiago Rosiak na guitarra e vocais, Raphael Vinotti no baixo, Hermes Bruchmann na guitarra e Bruno Zotto na bateria.


Dissonantes - 2 (2010)


01. Camden Town
02. Em sua órbita
03. Agosto
04. Boxer
05. No seu lugar
06. O que ela quer
07. Dois em um
08. Segundas intenções
09. Fique
10. Girl (onde você está)
11. S.O.S.
12. ST FM


Espero que tenham gostado. Mantenham a fé!

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Dissonantes e o fim da era do amor retrô

Conheci o som dos curitibanos do Dissonantes em 2007, mas eles já eram veteranos um tanto antes disso. Junto com outras ótimas bandas curitibanas tais como Mordida, Criaturas e Tarja Preta, Dissonantes sempre teve seu som com linhas melódicas num ritmo mais iê-iê-iê.

Em 2005 lançam o EP Amor Retrô, recheado de músicas sha-la-la-la que a galera cantava nos shows, em 2008 lançam o cd Cassino, fruto de composição e arranjos bem feitos. Thiago Rosiak nos vocais e guitarras, Allan Roberto no teclado, Raphael Machado no baixo e Bruno Zotto na bateria eram os responsáveis pelo som retrô na época.

Porém, como tudo o que é bom um dia acaba, neste último dia 13 a banda declarou no seu twitter que está encerrando suas atividades musicais, sem grandes detalhes, marcando assim o fim da Era do Amor Retrô.

Como "nota de pesar" pelo fim desta excelente banda, deixo aqui o 1º cd lançado por eles! Amanhã tem mais!


Dissonantes - Cassino (2008)

01. Quase Fui Te Procurar
02. Amor Retrô
03. Tua Cara
04. As Besteiras Que Eu Fiz
05. Garota do Chiclé
06. Casa da Molly
07. Rock Demodê
08. Eu Vou Te Enganar (com Giovanni Caruso)
09. Igual Aquele Dia
10. O Tal
11. Baby Nunca Mais
12. Qualquer Coisa Em Você
13. Ela Não É De Plástico (bônus)
14. Um Filme A Dois (bônus)
15. Você Nunca Vai Ganhar (bônus)
16. Por Favor Meu Bem (bônus)
17. Desamor (bônus)
18. Caso Eu Roube Você (bônus)
19. Você Não Soube Amar (bônus)


Vejo vocês amanhã!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O Moderno Mundo mudou!!


O Moderno Mundo mudou!!! O conteúdo é aquele que você já conhece, mas foram feitas algumas mudanças necessárias. Confere aí:

  • Os marcadores sumiram, mas agora você pode achar os posts por assunto através do menu;
  • Não somente no twitter, agora o MM's também está presente em outras redes sociais;
  • Você finalmente pode assinar o feed de notícias e ficar sempre por dentro das atualizações;
  • Não tá mais encontrando aquele disco do The Who que você queria tanto baixar? Agora o MM's conta com uma caixa de pesquisa personalizada do Google!
O Moderno Mundo está ficando cada vez maior e melhor graças a você!!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

It's a mod world, baby! - Editorial de moda do New York Post

"Tão fofo que você vai querer voltar no tempo".

O editorial já tem um bom tempo, mas a inspiração sessentista é atemporal. E é neste clima sixties com cara de Twiggy que o New York Post realizou este editorial de moda com looks lindos.

Fotos: Colin Douglas Gray



quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

The Small Faces - Small Faces (1966)

Em três anos quase completos de existência de blog, digo que já cometi muitos pecados por aqui (muitos mesmo!), mas com certeza nenhum deles supera o fato de nunca nada ter sido publicado aqui sobre o Small Faces. Nem notícia, nem foto, nem álbum, nada. Então, estou tentando me redimir com vocês a partir de agora.

Como uma das mais aclamadas bandas mod e também da década de 1960, The Small Faces junto com The Beatles foi uma das maiores influências para o movimento Britpop surgido na década de 1990.

Formada em 1965, em Londres era composta por Steve Marriott (falecido em 1991) na guitarra e nos vocais, Ronnie Lane (falecido em 1997) no baixo, Kenney Jones na bateria e Ian McLagan nos teclados. Esta formação mágica durou apenas quatro anos, pois ainda no ano do lançamento deste primeiro álbum, a banda rompeu laços com o então empresário Don Arden por uma série de problemas pessoais e financeiros, o que culminou com o rompimento do contrato com a gravadora Decca e com uma nova fase da banda. Em 1967 a banda assinou com o já mítico empresário Andrew Loog-Oldham e lançou a partir daí vários clássicos.

A banda se separou em 1969, Steve Marriot fundou a Humble Pie e os outros remanescentes se juntaram a Rod Stewart e fundaram a The Faces (mais tarde conhecida como Rod Stewart & The Faces). A banda passou por um hiato até 1975, se reuniu novamente até 1978. Na década de 1980 cada um dos membros originais e novos seguiu seu próprio caminho.

Em 07 de dezembro do ano passado, a banda foi nomeada para entrar na lista do Rock'n'Roll Hall Of Fame. A cerimônia está prevista para acontecer em abril deste ano.


The Small Faces - Small Faces (1966)
01. Shake
02. Come On Children
03. You'd Better Believe It
04. It's Too Late
05. One Night Stand
06. What'cha Gonna Do About It
07. Sorry She's Mine
08. Own Up Time
09. You Need Loving
10. Don't Stop What You're Doing
11. E Too D
12. Sha-la-la-lee
13. Shake (french ep version)
14. Com On Children (french ep version)
15. What'cha Gonna Do About It (french ep version)
16. Own Up Time (french ep version)
17. E Too D (french ep version)


Mantenham a fé e até amanhã!

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

And now...um recado dos nossos patrocinadores - Frito Bandito

Muito engraçadinha esta propaganda do salgadinho Frito Bandito. Adoro fazer uma nota mental comparativa de que como uma propaganda daquela época poderia ser recebida se fosse veiculada nos dias de hoje, e meus prognósticos em relação a esta não são nada bons.

Se pônei maldito é sinônimo de reclamação para alguns, acredito que uma animação de um simpático mexicano que torna "seus salgadinhos, meus salgadinhos!" poderia acionar o botão da censura dos defensores das propagandas bonitinhas, alegando que isto estereotipa TODOS os mexicanos, além de liga-los à bandidagem. Vai entender...



terça-feira, 10 de janeiro de 2012

The Kinks - The Kinks (1964)

The Kinks é um daqueles casos de bandas de irmãos que deu super certo. Ray e Dave Davies, os mais novos e únicos meninos numa família de outras 6 irmãs cresceram imersos numa variedade musical proporcionada pela família, o que teve influência decisiva para que os irmãos montassem sua própria banda.


Primeiramente com nomes como Ray Davies Quartet e The Ravens, a banda contava com a formação original composta então por Ray Davies nos vocais e guitarra rítmica, Dave Davies na guitarra solo e backing vocals, Pete Quaife no baixo e Mick Avory na bateria.

Seu tecreiro single foi You Really Got Me lançado em agosto de 1964 e a partir de então o sucesso foi imediato. Este álbum de estreia apresenta uma espécie de mistura de folk, country e r'n'b (confesso que muitas vezes esperava do nada eles cantarem Maggie's Farm do Dylan) já apresentando a fórmula marcada da banda com músicas ritmadas, dançantes e bem pontuadas pela harmônica.

The Kinks passou pelas mais diversas fases, e fez um bocado de experimentalismos visuais e musicais. Após idas e vindas, trocas de membros e uma separação na metade da década de 1990, a banda pretendia fazer uma reunião com os membros originais em 2010, porém os planos foram interrompidos pela morte do baixista Pete Quaife, como o blog noticiou aqui.



The Kinks - The Kinks (1964)


01. Beautiful Delilah
02. So Mystifying
03. Just Can't Go To Sleep
04. Long Tall Shorty
05. I Took My Baby Home
06. I'm A Lover Not A Fighter
07. You Really Got Me
08. Cadillac
09. Bald Headed Woman
10. Revenge
11. Too Much Monkey Business
12. I've Been Driving On A Bald Mountain (original mono)
13. Stop You Sobbing
14. Got Love If You Want It
15. Long Tall Sally (bonus)
16. You Still Want Me (bonus)
17. You Do Something To Me (bonus)
18. It's Alright (bonus)
19. All Day And All Of The Night(bonus)
20. I Gotta Move (bonus)
21. Louie, Louie (bonus)
22. I Gotta Go Now (bonus)
23. Things Are Getting Better (bonus)
24. I've Got That Feeling (bonus)
25. Too Much Monkey Business (bonus)
26. I Don't Need You Anymore (bonus)

download

Mantenham a fé e até amanhã!

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Muito além do Quadrophenia - outros filmes com a temática Mod: American Mod (2002)

Este curta-metragem de 20 minutos é datado de 2002, mas eu tenho a leve impressão de que ele é de antes disso. O diretor Lee Kolton fez uma crônica sobre três jovens mods nova iorquinos, enfatizando os aspectos estéticos e visuais da subcultura. Este filme também não está disponível para download, nem para visualização online.

O filme, como vocês podem ver pelo trailer tem alguns pontos que vão causar estranheza na maioria dos espectadores: as atuações são bem ruizinhas, a banda parece tocar uma música nada demais e nem mesmo os figurantes parecem se encaixar. Mas, pasmem, 90% do que é visto ali é real, desde cenários, passando pela banda que realmente é uma banda mod, até os figurantes estranhos, que segundo a nota de produção são mods de verdade.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

The Shadows of Knight - Gloria (1966)

Este post vai pro meu amigo, irmão de fé, blogueiro e camarada Galb que está de aniversário hoje! Sucesso, muitas felicidades e muitos anos de vida!

Diretamente dos subúrbios de Chicago nos idos de 1964 surge uma banda que primeiramente se intitulou como The Shadows, e após saber da existência de uma banda britânica com o mesmo nome, sugeriu-se incluir Knight. Todos os membros da banda, na época, estudavam em uma escola pública cujos times eram conhecidos como Cavaleiros (em inglês Knights), e assim surge este estranho nome The Shadows of Knight.

Com Jim Sohns nos vocais, Joe Kelley no baixo, Jerry McGeorge na guitarra rítmica, Tom Schiffour na bateria e Warren Rogers na guitarra solo, os Shadows neste álbum de estréia possuem boas versões bluseiras com um ritmo empolgante e dançante. Porém, creio que o mérito maior da banda foi ter alcançado um certo sucesso com a versão para a música Gloria, originalmente dos irlandeses do Them, que na época foi censurada por ter uma letra abertamente sexual.


Como grande parte das bandas da época, os rapazes passarem por diversas fases, o que incluiu a troca de vários membros da banda ao longo dos anos, sendo o vocalista Jim Sohns (que na época de estréia do álbum tinha apenas 19 anos) o único remanescente. Em 1969, a banda apresenta a dançante Shake, porém sem o mesmo sucesso obtido através do cover de Gloria.

Parece que a banda continua na ativa e em 2008 lançaram um cd intitulado Rock'n'Roll Survivors com uma nova versão para o seu maior sucesso. Para maiores informações sobre eles, acesse a página oficial da banda.


The Shadows Of Knight - Gloria por scootaway

The Shadows of Knight - Gloria (1966)

01. Gloria
02. Light Bulb Blues
03. I Got My Mojo Working
04. Dark Side
05. Boom Boom
06. Let It Rock
07. Oh Yeah
08. It Always Happens That Way
09. You Can't Judge A Book (By The Cover)
10. (I'm Your) Hoochie Coochie Man
11. I Just Want To Make Love To You
12. Oh Yeah (single version)
13. I Got My Mojo Working (alternative version)
14. Someone Like Me (single)


Mantenham a fé e um ótimo final de semana!

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Muito além do Quadrophenia - outros filmes com a temática Mod: Young Birds Fly (2006)

Diferentemente do que se possa pensar, durante a década de 1960 a temática Mod não era interessante para os cineastas da época. É claro que surgiram algumas pérolas visuais dignas de serem vistas como o documentário francês Les Mods ou o estranhíssimo Mondo Mod, porém a obra que ainda marca os parâmetros cinematográficos ainda é o Quadrophenia. Um típico caso de obra no estilo "ame ou odeie".

O filme desta semana é Young Birds Fly do norte-americano Leonardo Flores. Ele conta a história de Jill, uma tímida e retraída adolescente que passa a conhecer a cultura Mod presente em L.A. e desabrocha como Venus Ace. Entre o nascimento de uma nova pessoa e a descobertas, Jill se decepciona com o lado patético e fútil do Modernismo. Algumas pessoas (britânicos mais precisamente) estranharam o fato da história ter tantos elementos norte-americanos.


A obra em si já tem uns bons anos, o que não condiz com algumas informações do IMDB. Porém , é impossível achá-la para download ou até mesmo para assisti-la online. Sorte dos estrangeiros. Na minha época de facebook tive a sorte de ter o diretor na minha lista de contatos, porém, nem mesmo ele soube me dar informações concretas a respeito de lançamento, distribuição em outros países, etc. Maiores e possíveis informações no Mod Cineaste.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

And now...um recado dos nossos patrocinadores - Alpha Bits

Delícia ver estes comerciais antigos. Eles possuíam uma linguagem facilmente assimilável, era fácil de identificar o público-alvo e os jingles eram simplesmente maravilhosos. Coisas que reunidas todas em um comercial de hoje simplesmente não funcionariam. E você tá pouco se lixando se este tipo de cereal não tem fibras ou causa cárie nos dentinhos, mais do que qualquer outro, este parece ser o tipo de publicidade que funciona. A la Mad Men.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

The Music Machine - The Ultimate Turn On (2006)

Já era mais do que necessário eu ter postado o disco desta banda, não somente pelo recente falecimento do Sean Bonniwell como eu noticiei aqui, mas porque esta banda é essencial em qualquer discografia da década de 1960.


Formada em 1965 primeiramente com o nome de Ragamuffins, a The Music Machine além de Bonniwell nos vocais, foi formada por Mark Landon na guitarra, Keith Olsen no baixo, Doug Rhodes nos teclados e Ron Edgar na bateria. Com uma mistura de garage rock, psicodelia e um pouco de proto punk, The Music Machine foi um nome de peso e grande referência até o final dos anos 60, quando devido a conflitos internos os membros da banda se separaram e Bonniwell rebatizou a banda como Bonniwell Music Machine.

O primeiro álbum da banda, Turn On lançado em 1966 ganhou uma nova versão especial 40 anos depois de seu lançamento e conta com músicas inéditas e takes de ensaios e foi batizado novamente de The Ultimate Turn On.


The Music Machine - The Ultimate Turn On (2006)

Volume 1

01. Talk, Talk
02. Trouble
03. Cherry Cherry
04. Taxman
05. Some Other Drum
06. Masculine Intuition
07. The People In Me
08. CC Rider
09. Wrong
10. 96 Tears
11. Come On In
12. Hey Joe
13. Double Yellow Line
14. Absolutely Positively
15. The Eagle Never Hunts The Fly
16. I've Love You
17. Talk, Talk (stereo)
18. Trouble (stereo)
19. Cherry Cherry (stereo)
20. Taxman (stereo)
21. Some Other Drum (stereo)
22. Masculine Intuition (stereo)
23. The People In Me (stereo)
24. CC Rider (stereo)
25. Wrong (stereo)
26. 96 Tears (stereo)
27. Come On In (stereo)
28. Hey Joe (stereo)

Volume 2

01. The People In Me (rehearsal)
02. Trouble (rehearsal)
03. Masculine Intuition (rehearsal)
04. The Eagle Never Hunts The Fly (demo)
05. Sufferin' Succotash (demo)
06. Worry (demo)
07. No Girl Gonna Cry (demo)
08. Smoke & Water (demo)
09. I've Loved You (demo)
10. Discrepancy (demo)
11. Bottom Of The Soul (demo)
12. The Trap (demo)
13. Absolutely Positively (early mix)
14. Somethin' Hurtin' On Me (early mix)
15. Affirmative No (early mix)
16. Talk Me Down (original mix)
17. Astrologically Incompatible (original mix)
18. Worry (original mix)
19. No Girl Gonna Cry (original mix)
20. Smoke & Water (original mix)

download

Mantenham a fé e até amanhã!

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Procuramos empresas parceiras!


Procuramos empresas que estejam interessadas em firmar parceria com o blog com a finalidade de realizar sorteios de produtos com a possibilidade de ampla divulgação do nome da empresa.

Aos interessados, para maiores informações basta mandar um e-mail para nosso endereço eletrônico: modernomundo@hotmail.com