quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Links Recuperados - Lista 3

Olá, queridos!!

Há tempos que prometo recuperar todos os links que foram perdidos devido ao fechamento do Megaupload, e com calma vou colocar todos os links para funcionar novamente.

  • Nuggets Vol 7. - Early San Francisco: aqui
  • Nuggets Vol 8. - The Northwest: aqui
  • Nuggets Vol 9. - Acid Rock: aqui
  • Nuggets Vol 10. - Folk Rock: aqui
  • Nuggets Vol 11. - Pop (part four): aqui
  • Nuggets Vol 12. - Punk (part three): aqui
E para quem perdeu ou não está conseguindo encontrar, aqui estão as listas já feitas de links recuperados:

And now...um recado dos nossos patrocinadores - The Monkees Kelloggs + Black Label Commercials

Toda quarta-feira eu trago um vídeo televisivo para vocês, e hoje, indiscutivelmente estou trazendo outro vídeo dos meninos engraçadinhos do The Monkees. Para quem não lembra, ou não viu, eu já tinha postado um comercial aqui com o Pernalonga.

Durante os anos de 1966-67, quando a série televisiva foi ao ar, muito da permanência do seriado se deu pelos patrocinadores. Um dos maiores, senão o maior, foi a marca de cereal Kellogs e o "patrocínio" de hoje é uma compilação dos comerciais para a marca e vai para o eterno Daydream Believer, Davy Jones. Enjoy!


The Monkees num recorte de revista


Quando eu tinha mais ou menos uns 12 anos de idade, sentei um dia para assistir televisão com a minha mãe. Qual foi nossa surpresa ao ver que a Band (posso estar errada) estava reprisando episódios dublados do seriado de televisão do The Monkees. A partir de então me tornei uma grande fã daqueles rapazes meio bobos.

Assim foi com todas as bandas que aprendi a gostar na adolescência. E por mais que fosse mais uma destes grupos do qual não senti nem o cheiro pois seus membros já tinham se dispersado muito antes de eu pensar em nascer, sempre tive um carinho muito especial por The Monkees.

Este recorte foi feito de uma daquelas revista de adolescentes do final dos anos 90, em meio a boy bands como 'N Sync e Backstreet Boys, encontrei este box falando sobre Os Macacos e achei que valia a pena guardar. E valeu mesmo!

R.I.P. Davy Jones


Acabo de receber aquela que, pra mim, é uma notícia muito triste. Davy Jones do The Monkees, faleceu hoje, aos 66 anos de idade.

A jornalista Deborah Robicheau afirma que o cantor morreu dormindo de ataque cardíaco em sua casa na Flórida.

Jones era o único membro inglês do grupo norte-americano que estourou na década de 1960 graças aos seus inúmeros shows e à série de TV do mesmo nome. Nascido em Manchester em 1946 e o mais novo dos 4 integrantes, Jones fez carreira como jóquei em corridas de cavalos de entrar no mundo das artes. Ele deixa 4 filhas.

Mais informações em breve.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Smodati - Questa Città È Per Me

Smodati deveria ser sinônimo de Mod à italiana. Com um som que vai do power pop ao punk, passando pelo mod revival, os milaneses do Smodati já estão há algum tempo juntos, divulgando o Modernismo da Itália para o mundo.


Os amigos Teo, Fox, Luca, Claudio e Otto trazem canções próprias cantadas em italiano (eu queria entender mais italiano nestas horas), com canções bem orientadas para a urbanidade.

Com um séquito fiel de fãs e uma excelente divulgação na internet, o Smodati tem como seu maior diferencial o estilo casual de se vestir e uma sonoridade que passa distante da maioria das bandas mod contemporâneas.


Smodati - Questa Città È Per Me



01. Il Ritorno Degli Smodati
02. Chiedi Alla Luna
03. La Mia Città
04. Sabato
05. Non Sei La Sola (Forse)
06. E' Chosi Che Va
07. Over You
08. Dimmi Di No
09. La Maglietta Dei Purple Hearts
10. L'amore Finisce Male
11. Questa Città È Per Me


Espero que tenham gostado! Mantenham a fé!

Small Faces em edições de luxo


A boa notícia é para quem mora na gringa. Os álbuns Small Faces (1966), From The Beginning (1967), Small Faces (1967) e Ogdens Nut Gone Flake (1968) ganharão edições de luxo.

Entre as novidades estão versões remasterizadas em stereo e mono das canções, e um vasto material bônus. Além disso contará com notas de Mark Paytress da Mojo Magazine, além de entrevistas com Ian McLagan e Kenney Jones.

O lançamento destas edições está previsto para 07 de maio.

(Vi no Tumblr da Mojo)

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

The Jam - Greatest Hits (1991)

Quem tá acostumado a sempre dar um pulinho aqui no M&M's sabe que não é costume eu fazer um post com downloads na segunda-feira. Geralmente o dia do disquinho esperto é nas terças e agora também nas quintas. Mas eu acho que o pedido especial da leitora Fernanda De Rossi e do Luiz Eckert, nosso blogueiro, foi digno e muito justo.


The Jam é uma banda da qual eu já deveria ter falado mais a respeito ou postado mais discos há mais tempo (para quem não lembra, postei um single aqui que necessita urgentemente de uma repostagem). Sua influência e importância dentro do Mod Culture são tão grandes, que é quase dada à banda o cargo de heróis do Mod Revival. Aliás, creio que em muitos momentos eles transcenderam o Mod Revival, tamanha a contribuição.


A história da banda se remete ao ano de 1972, quando Paul Weller, Steve Brookes, Bruce Foxton e Rick Buckler se juntaram paratocar os estilos que mais os influenciavam, entre eles: os 60's bea, o soul, o rock psicodélico, e mais tarde, a clara influência do punk rock e do new wave. Juntos desde os tempos de escola em Surrey, Inglaterra, os 4 amigos primeiramente tocavam cover de astros do rock'n'roll norte-americano em um clube local. A influência mod no som e no estilo da banda só viria no momento em que Weller descobriu o The Who, quando a banda passa a incorporar o som negro produzido pela Stax, Motown e Atlantic em seu repertório. Brookes logo saiu da banda, então Weller assumiu a guitarra e os vocais, Foxton assumiu o baixo e os vocais e Buckler se encarregou da bateria.

O primeiro álbum In The City foi lançado em 1977, marcando a chamada "primeira fase da banda". O que difere, ou até mesmo impede a banda de ser chamada de punk é o fato de eles usarem roupas de qualidade, ao invés dos trajes rasgados ou muito diferenciados de bandas contemporâneas e também o fato de o som deles ser diretamente influenciado pela música produzida na década de 1960. Isto fez com que eles, na verdade, fossem considerados revivalistas do estilo mod. As letras claramente falam sobre política e muitas geraram o sentimento oposto no público. Outra diferenciação clara de bandas punk como The Clash e The Sex Pistols, era a visão conservadora e idealizada do Império Britânico, uma influência muito direta das letras do The Kinks.

A chamada "segunda fase" começa em 1980, culminada pelo lançamento de Going Underground, onde as letras ainda politizadas e os vários hits nas paradas de sucesso lançam a banda numa esfera maior. The Jam nunca chegou a alcançar o devido sucesso na América, contudo, o single That's Entertainment foi considerado pela revista Rolling Stone uma das 500 canções de todos os tempos.

Na época de lançamento de The Gift, o último álbum da banda, fica mais evidente o estilo new wave adotado pelos rapazes. Este também foi um álbum de enorme sucesso comercial, onde a banda volta a mostrar também toda a influência que recebeu da música negra norte-americana dos anos 60. A banda se separou em dezembro de 1982, poucos meses depois do lançamento de The Gift.

Por fim, Weller juntou-se ao ex-tecladista do The Merton Parkas, Mick Talbot e com ele formou o aclamadíssimo Style Council até 1989, quando seguiu em uma próspera e prolífica carreira solo que dura até hoje e que lhe rendeu a alcunha de Modfather. Foxton lançou um álbum solo em 1984, intitulado Touch Sensitive, além de trabalhar em projetos paralelos (um deles, inclusive com Simon Townsend, irmão do lendário Pete Townsend do The Who). Rick Buckler formou a banda Time UK com o guitarrista Danny Kustow. Em 2006 ele formou a banda The Gift, e se dedicou a tocar muito do material produzido pelo The Jam, o que rendeu um tributo ainda em 2006 e outro concerto no mesmo com Foxton.

Weller e Foxton ficaram sem se falar por mais de 20 anos, porém houve uma reconciliação em 2009, e Foxton produziu algumas faixas do álbum mais recente de Weller, o Wake Up The Nation de 2010. Entretanto, não há rumores ou notícias de uma possível volta da banda.


The Jam - Greatest Hits (1991)

01. In The City
02. All Around The World
03. The Modern World
04. News Of The World
05. David Watts
06. Down In The Tube Station At Midnight
07. Strange Town
08. When You're Young
09. The Eton Rifles
10. Going Underground
11. Start!
12. That's Entertainment
13. Funeral Pyre
14. Absolute Begginers
15. Town Called Mallice
16. Precious
17. Just Who Is The 5 O'Clock Hero?
18. The Bitterest Pill (I Ever Had To Swallow)
19. Beat Surrender
20. Dreams Of The Children
21. 'A' Bomb In The Wardour Street

download

Espero que tenham gostado! Mantenham a fé!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

The Seeds - Seeds & A Web Of Sound (1966)

Olá, queridos leitores! Me desculpem pelo atraso do post de hoje que deveria ter saído ontem. Mas, sofro de gastrite e ontem tive uma daquelas crises que me deixam imprestável. Tentarei recompensá-los da melhor maneira possível.

Proto punk piscodélico. Pra mim, esta é a melhor definição que eu posso dar dos californianos do The Seeds. Capitaneados pelo carismático Sky Saxon, contava também com Daryl Hooper nos teclados, Jan Savage e Jeremy Levine nas guitarras e Rick Andrige na bateria, que logo deixou a banda por motivos pessoais. Como visto, a banda não contava com um baixista, nas gravações usavam músicos de estúdio e nos palcos, Hooper era quem às vezes assumia o baixo, às vezes assumia o bass keyboard.

Foto: Guy Webster

O primeiro hit, Cant' Seem To Make You Mine, lançado em 1965, ano em que a banda se formou também, e catapultou os rapazes dentro da Califórnia. Em 1966 alcançaram moderado sucesso com Pushin' Too Hard, ficando entre os top 40. Nos anos seguintes lançaram Mr. Farmer, A Thousand Of Shadows e re-lançaram, em 1967, I Can't Seem To Make You Mine. O sucesso era modesto também neste período, porém a popularidade era grande no sul da Califórnia. Em 1968, já com os primeiros sinais de crise a banda muda alguns membros, além de mudar o nome para Sky Saxon & The Seeds.

Após a dissolução da banda na década de 1970, se juntou ao grupo religioso de Yahowha (ou Father Yod), que promovia uma vida em comunidade, dieta orgânica e ideais utópicos. Sky, que na verdade se chamava Richard Marsh, faleceu em 2009 de infecção generalizada no mesmo dia em que Farrah Fawcett e Michael Jackson deixaram este mundo.

Este álbum 2 em 1 que reúne os dois primeiros discos da banda, ambos lançados em 1966, é a melhor prova da inventividade e criatividade californiana da década de 1960. Impossível saber se é uma banda garageira ou influenciada por ácido, as duas influências de estilo são muito claras (o garage/fuzz e o psicodélico). O vocal mezzo anasalado mezzo descompromissado de Saxon juntamente com os teclados sempre marcantes e tão presentes de Hooper é que dão o tom da banda. Recomendadíssimo!



The Seeds - Seeds & A Web Of Sound (1966)


01. I Cant' Seem To Make You Mine
02. No Escape
03. Evil Hoodoo
04. Girl, I Want You
05. Pushin' Too Hard
06. Try To Understand
07. Nobody Spoil My Fun
08. It's A Hard Life
09. You Can't Be Trusted
10. Excuse Excuse
11. Fallin' In Love
12. Mr. Farmer
13. Picures And Designs
14. Tripmaker
15. I Tell Myself
16. Faded Picture
17. Rollin' Machine
18. Just Let Go
19. Up In Her Room


Queridos, espero que tenham gostado! Mantenham a fé e até amanhã!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

And now...um recado dos nossos patrocinadores - Seja aeromoça da Varig!

Adorei este comercial! Mesmo! Ele parece refletir o espírito de mulher moderna e viajada da época. Só queria descobrir quem é esta cantora, alguém saberia me dizer?


Varig! Varig! Varig!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Bobby Fuller Four - I Fought The Law + Bonus Tracks (1965)

O disco de hoje é para quem gosta de um bom rock'n'roll. O post de hoje é para quem acredita em teoria da conspiração.

Vinda diretamente do Texas e formada em 1962, a banda Bobby Fuller Four gravou diversos singles em diversos selos até alcançarem o sucesso em 1963 depois de assinarem com a Del-Fi Records (selo que lançou o também falecido Ritchie Valens) e lançarem os hits Let Her Dance e I Fought The Law, originalmente gravada pelo The Crickets, antiga banda de Buddy Holly, do qual Fuller era muito fã. Formada por Bobby Fuller na guitarra e vocais, seu irmão Randy Fuller no baixo, Jim Reese na guitarra e De Wayne Quirico na bateria.

Logo após o lançamento de I Fought... a banda já apresentava uma série de problemas internos, os singles seguintes não alcançavam sucesso em níveis nacionais, Quirico foi subitamente demitido da banda por Bobby, sendo substituído por Dalton Powell, Jim Reese teve que vender seu próprio carro para Fuller e o recém chegado Powel já pensava em sair da banda para cuidar da família. Somado a isso, em 1966, depois de alguns meses do lançamento de I Fought... Bobby foi encontrado morto dentro de seu próprio carro em frente ao prédio onde morava com a mãe em Hollywood.

Os sites Voices Of East Anglia e Wikipedia contam versões curiosas sobre o caso: O Wikipedia conta que no dia 18 de junho de 1966, Fuller não foi ao ensaio da banda, nem fez o acordo com Reese para a venda de seu carro. Porém, mais tarde naquele mesmo dia, Fuller foi encontrado morto no banco da frente com hemorragias patequiais (pequenas manchas na pele de cor púrpura) causadas por calor e por vapor de gasolina. Ele não apresentava ferimentos de nenhum tipo, isto é, arranhões, hematomas ou fraturas.

Já o Voices coloca que por volta de 1 hora da manhã daquele mesmo dia, Fuller recebeu uma ligação e saiu de casa, porém avisando sua mãe que voltaria mais tarde, saindo com o carro dela. Com a demora do filho, a mãe entrou em contato com o empresário da banda perguntando por notícias, pela manhã ela mesma achou o corpo do filho dentro do carro, que estava estacionado em frente ao prédio onde moravam. Fuller havia sido espancado, estava coberto de sangue e gasolina, inclusive com gasolina em seu estômago, segundo a autópsia.

Muitas teorias da conspiração surgiram a partir do caso. Erik Greene, um parente de Sam Cooke coloca que as mortes de ambos são muito parecidas e Jim Reese (falecido em 1990) chegou a levantar a teoria de que o assassinato do amigo teria sido executado por Charles Manson e sua gangue. A polícia primeiramente atestou o caso como suicídio sem investigações profundas, porém, este é considerado um cold case mesmo depois de tantos anos.

Há no youtube este curta incrível e super bacana sobre o Bobby.


Num tempo onde a British Invasion e o folk de Bob Dylan estavam em alta, Bobby Fuller e sua banda tiveram o mérito de continuar a fazer um rock com sotaque sulista e, ainda assim, alcançar muito sucesso.



Bobby Fuller Four - I Fought The Law + Bonus Tracks (1965)


01. Let Her Dance
02. Julie
03. A New Shade Of Blue
04. Only When I Dream
05. You Kiss Me
06. Little Annie Lou
07. I Fought The Law
08. Another Sad And LOnely Night
09. Saturday Night
10. Take My Word
11. Fool For LOve
12. Never To Be Forgotten
13. Thunder Reef
14. Baby I Don't Care
15. Wolfman
16. Think It Over
17. Our Favourite Martian
18. Baby My Heart
19. Not Fade Away
20. My Own True Love
21. Nancy Jean
22. Shanghai'd
23. It's Too Late
24. The 1000 Pound Bee
25. The Chase
26. Only For You


Vejo vocês amanhã! Mantenham a fé!

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Muito além do Quadrophenia - outros filmes com a temática Mod: We Are The Mods (2008)

É difícil falar sobre o que não se conhece. E a maior dificuldade que tenho é a de fazer uma análise ou crítica sobre os filmes que posto aqui, então, peço um pouco de paciência a todos que me leem.

A premissa deste filme da diretora E. E. Cassidy parece ser a mesma de Young Byrds Fly, a garota boa é "corrompida" pela má, e ainda assim, desabrocha para encontrar sua verdadeira identidade.


O filme tem boas críticas e ganhou prêmios em festivais de filmes independentes. Filmado em Los Angeles em apenas 21 dias , inclusive numa Mods Night em um clube da cidade, até agora este parece ser o mais bem produzido filme sobre a subcultura modernista. Porém, com aquelas pequenas coisas incongruentes que não podem tirar o brilho da história, como por exemplo o fato das protagonistas cheirarem cocaína.

O filme não está disponível para download, muito menos online. Alguém até postou um vídeo no youtube dizendo que o filme está disponível, porém o link postado me parece ser duvidoso.


Vocês podem conhecer mais sobre o filme visitando a sua página oficial.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

I ♥ Legends


Vocês com certeza se lembram do post que eu publiquei sobre a possível demolição do prédio do lendário Twisted Wheel. Pois esta semana acabei conhecendo o site I ♥ Legends, onde um grupo de pessoas se reuniu exatamente para salvar o grupo de prédios localizados entre a London Road e a Whitworth Street (um deles é o antigo prédio do Twisted Wheel), em Manchester.

Entre os interessados em salvar este, que para eles, é um patrimônio histórico estão clientes e promoters, que levantaram um histórico de construções na área que datam de 1787.

Muitas partes do site ainda estão em construção, porém o site é amplo e organizado, contendo diversas informações.


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Herringbone dita moda!


O Herringbone dita muita moda por aí...

Com um padrão em V que lembra a espinha de um arenque (herring fish - por isso, herringbone), o herringbone é geralmente encontrado em tecidos de sarja, lã ou tweed. Por ser usado em tecidos mais grossos, é perfeito e muito apropriado para o frio, além de extremamente elegante.

Como vocês puderam observar, ele é bastante usado em moda sixties e acredito que vocês possam encontrar tecido com este padrão em boas casas do ramo.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

The Jaybirds - Going Our Own Ways (1997)

Tá aqui uma banda que nos "engana" facilmente. O cabelo de um mop top rebelde, a sonoridade (como é o caso de Take It Easy), algumas capas de álbuns e até o clipes promocionais nos fazem acreditar piamente que se trata de uma banda "nascida e criada" na década de 1960.

Entretanto, este não é o caso dos austríacos do The Jaybirds. A banda formada em Viena em 1989 conta com Bernhard Gold nos vocais, Norb Payr e Pat Nagl nas guitarras, Markus Zöchling no baixo e Thomas Schmitzberger na bateria. É aclamada como uma das melhores bandas a fazer uma sonoridade mod/r'n'b/freakbeat na Europa, e com certeza eles merecem todos os elogios.

Com músicas que vão de The Standells e The Sorrows a The Leaves, contando também com composições da própria banda, esté álbum com certeza é a melhor opção para quem quer conhecer a banda e saber o que a Europa tem exportado de melhor.


The Jaybirds - Going Our Own Ways (1997)

01. Going Our Own Ways
02. Mercy Mercy
03. I Wanna Be Free
04. Why DidYou Go
05. Harpstrut
06. On Love
07. Take It Easy
08. Try It
09. Get Out My Life Woman
10. I'll Be Dog Gone
11. Take A Heart
12. Go Back Home
13. I Need You


Espero que tenham gostado. Mantenham a fé e até amanhã!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

And now...um recado dos nossos patrocinadores - Guaraná Antarctica Boko Moko Theobaldo

Você que tem fala macias, modos refinados e linguajar rebuscado. Você que usa meia com sandália, cabelo lambido, que é meio tampinha, é engomado ou até meio almofadinha...Cuidado! Você pode ser um boko moco!


A gíria "boko moco" fez parte da minha infância, e da de vocês?

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Modern Love (2012) - Especial Valentine's Day

Hoje é o Valentine's Day ou Dia de São Valentim, o dia dos namorados, comemorado nos Estados Unidos e na Europa (aqui no Brasil, comemoramos a data no dia 12 de junho). E como não podia deixar de ser o Moderno Mundo tinha que celebrar um dos mais lindos sentimentos do mundo.

Nesta coletânea preparada especialmente para hoje, você vai ouvir baladinhas, músicas mais animadas, umas com letras mais tristes, outras nem tanto. Enfim, de tudo um pouco, aqui todas as canções celebram, cada uma a seu modo, aquilo que faz a gente esquecer temporariamente dos problemas do mundo.

Espero que gostem!



01. The Leaves - Funny Little World
02. The Lambrettas Anything You Want
03. The Standells - Ninety-Nine And A Half
04. The Troggs - With A Girl Like You
05. Easybeats - Pretty Girl
06. The Isley Brothers - This Old Heart Of Mine
07. The Coral - Dreaming Of You
08. Smokey Robinson & The Miracles - If You Can Want
09. The Beatles - Real Love
10. The Jam - The Bitterest Pill (I Ever Had To Swallow)
11. The Kinks - Set Me Free
12. The Small Faces - Show Me The Way
13. The Tremeloes - Suddenly You Love Me
14. The Buckinhghams - Don't You Care


Vejo vocês amanhã! Mantenham a fé!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Quais eram os Pop Stars mais bem vestidos dos anos 60?

Eram três os Pop Stars considerados uns dos mais bem vestidos na Grã-Bretanha na década de 1960. O Stone Brian Jones, o Small Face Ronnie Lane e o Beatle George Harrison eram os que lançavam tendência na época e inspiram rapazes mundo afora até hoje.


Brian Jones usa traçado com uma camisa fabulosamente estampada e a última novidade em jaquetas - listras, naturalmente. Junto com jeans brancos e sapatos de lona.

Plonk, do The Small Faces é louco por controle. Sua fama se dá pelo casaco de muitas cores com camisa de dois tons e calças Herringbone.

George Harrison usa terno listrado de veludo vermelho com calças pretas justas, sapatos listrados malucos, chapéu cloque e estranhos óculos pequenininhos.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Love - Love Story (2007)


Sou completamente apaixonada por este documentário, cada vez que revejo sinto um enorme prazer e é este mesmo prazer que sinto agora ao compartilhá-lo com vocês.

Love Story, produzido em 2006 é o primeiro trabalho como diretor de Chris Hall, um trabalho de contexto simples, porém, na minha opinião, bem produzido.

Contando a trajetória de Lee e sua "seminal" banda, o Love, Love Story é um daqueles documentários sem grandes apelos, com cada músico que já fez parte da banda dando seu próprio depoimento do que era estar numa banda que em sua época não teve grande apelo de massa, contudo hoje é considerada fenomenal. Lee, Echols, Mclean e turma contam como se conheceram, sobre uso de drogas, sobre a época em que viveram na mansão por eles intitulada "The Castle", sobre a relação deles com o The Doors e, principalmente, sobre como era fazer parte de um grupo de rock.


Direção: Chris Hall e Mike Kerry
Estrelando: Arthur Lee, Johnny Nichols, Bryan Mclean, Michael Stuart
Formato: RMVB
Sem legendas


Espero que tenham gostado! Mantenham a fé!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Love - Love (1966)

Love, na minha humilde opinião, foi uma das bandas mais invetivas e criativas da história do Rock. Formada em 1963, foi uma das primeiras bandas norte-americanas a promover uma integração racial entre brancos e negros tocando juntos.


Liderado pelos vocais de Arthur Lee, que desde criança foi acostumado a ouvir o melhor do blues e do jazz, Love era formada também por Bryan MacLean na guitarra base, Johnny Echols na guitarra solo, Ken Forrsi no baixo, Alban "Snoopy" Pfisterer nos teclados (neste primeiro álbum ele era o baterista e Michael ainda não fazia parte da banda) e Michael Stuart na bateria.

Influenciados por toda a efervescência cultural presente em Los Angeles na década de 1960, este álbum de estréia é uma mistura muito gostosa de ouvir e que possui uma mistura de folk e psicodelia.

Hoje não pretendo falar muito sobre a história da banda, muitas vezes informações detalhadas e profundas são difíceis de achar e eu acredito que o post de amanhã falará por si só. Então espero pela visita de vocês amanhã! ;)




Love - Love (1966)

01. My Little Red Book
02. Can't Explain
03. A Message To Pretty
04. My Flash On You
05. Softley To Me
06. No Matter What You Do
07. Emotions
08. You'll Be Following
09. Gazing
10. Hey Joe
11. Signed D.C.
12. Collored Balls Falling
13. Mushroom Clouds
14. And More


Vejo vocês amanhã! Mantenham a fé!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Aberturas de séries de TV dos anos 60

Com certeza muitos de vocês, assim como eu, já ouviram pais, irmãos mais velhos e avós falarem com certa nostalgia de alguns programas televisivos da década de 1960. Sucessos televisivos como Jeannie É Um Gênio, Túnel do Tempo, Jornada Nas Estrelas, Perdidos No Espaço, entre outros foram reunidos aqui com suas aberturas originais e uma pequena sinopse.


A Feiticeira (Bewitched) - 1964 a 1972: Samantha teria tudo para ser uma perfeita dona de casa feliz e normal, exceto por um detalhe: ela pode fazer qualquer mágica com uma simples torcidinha no nariz. James, seu marido, não tem nenhum poder e prefere que sua esposa não use sua magia, e é aí que a confusão começa. Transmitida no Brasil pela primeira vez pela TV Paulista em 1965, atualmente não é exibida no País.

Jeannie é um Gênio (I Dream Of Jeannie) - 1965 a 1970: Ao sofrer um acidente, no qual acaba caindo em uma ilha deserta, o astronauta e capitão da Força Aérea norte-americana Anthony Nelson encontra uma garrafa misteriosa. Ao abri-la, ele acaba libertando Jeannie, uma gênio das histórias contadas no Mil e Uma Noites. Primeira vez transmitida no Brasil em 1966 pela TV Paulista, atualmente é transmitida pelo canal pago Nickelodeon no bloco de programas antigos Nick-at-Nite.

Agente 86 (Get Smart) - 1965 a 1970: Maxwell Smart, o Agente 86, é um atrapalhado detetive que deixa de trabalhar no prédio de Controle e passa a ser um agente de missões especiais. Ele conta com a ajuda dos agentes Canino, 99 e 34, recebendo ordens do Chefe para acabar com a vilania do Senhor Big (um anão). Exibido pela primeira vez pela Rede Record (não sei ao certo o ano), sendo reprisado pelo canal pago TCM e também pelo Nickelodeon, porém, não é mais transmitido no País.

James West (The Wild Wild West) - 1965 a 1969: A série é uma espécia de James Bond ambientada no velho oeste. Conta a história dos agentes secretos James West e Artemus Gordon, cuja missão era proteger o presidente Ulysses S. Grant contra todo e qualquer tipo de atentado. Como uma boa história protagonizada pelo agente 007 que se preze, conta com lindas mulheres, todo o tipo de tecnologia e vilões que fazem qualquer coisa para dominar o mundo. Não consegui achar informações sobre transmissões ou reprises deste programa no Brasil.

Perdidos no Espaço (Lost In Space) - 1965 a 1968: Ambientada no "futuro", mais precisamente no ano de 1997, a série conta as aventuras da família Robinson, que fora selecionada para viajar através da galáxia até o planeta Alpha Centauri, pois a Terra sofre com uma superpopulação e busca novos planetas para colonizar. Porém, Zachary Smith, encarregado de sabotar a missão desprogramando o robô B9, deixa algo de errado acontecer e tanto ele, quanto a família Robinson se veem perdidos no espaço buscando de novo o caminho de volta para o Planeta Terra. A série foi transmitida pela primeira vez no Brasil em 1996, porém, apenas para São Paulo. Atualmente, é reprisada pela Rede TV.

Jornada nas Estrelas (Star Trek) - 1966 a 1969: Uma das séries mais famosas da história da televisão, lançou os nomes de William Shatner como o Capitão Kirk e Leonard Nimoy como o metade vulcano/metade humano, Spock. A série original conta a história da tripulação a bordo da nave USS Enterprise, que em sua missão de cinco anos tem como finalidade "audaciosamente ir onde nenhum homem jamais esteve". Trouxe também a primeira cena de beijo interracial entre o branco Capitão Kirk e a negra Tenente Uhura (interpretada por Nichelle Nichols). É também uma das franquias mais bem-sucedidas da história gerando lucros extraordinários com quadrinhos, filmes e outras séries de tv. Não encontrei dados que indiquem a reprise da série na televisão brasileira.

Batman - 1966 a 1968: A série é responsável por trazer elementos de comicidade ao homem-morcego, sendo, muitas vezes, duramente criticada pelo fãs mais ardorosos dos quadrinhos. Narra a luta do herói Batman e seu escudeiro Robin na luta pela justiça em Gotham City. Trouxe o barrigudinho Adam West no papel de Batman, Burt Ward no papel de Robin e uma lista de vilões famosos e queridos até hoje: Coringa (Cesar Romero), Egghead (Vincent Price) e Mulher-Gato (interpretada por Julie Newmar e Eartha Kitt). Segundo o wikipedia, é transmitida atualmente pelo canal pago TCM.

O Túnel do Tempo (Time Tunnel) - 1966 a 1967: Os cientistas Doug Phillips e Tony Newman viajam através do tempo sendo sempre monitorados por uma equipe que permanecia em um laboratório que os monitorava através do túnel do tempo. A equipe sempre procurava um meio de trazê-los de volta, e muitas vezes, enviava um membro da própria equipe para ajudar os cientistas em dificuldades e situações de perigo. Não há informações sobre a reprise desta série no País.

Os Invasores (The Invaders) - 1967 a 1968: O arquiteto David Vincent descobre sem querer os planos de uma invasão alienígena em andamento e resolve viajar de um lugar a outro para frustrar os planos malignos e avisar a humanidade do perigo eminente. Os episódios muitas vezes eram ambientados como metáforas sobre a Guerra Fria e traziam vários aspectos sobre possíveis contatos reais de extraterrestres. Não consegui informações sobre a reprise deste programa atualmente na tevê brasileira.

Terra de Gigantes (Land Of The Giants) - 1968 a 1970: A tripulação da nave orbital Spindrift acaba caindo em uma dobra especial durante uma viagem de Nova Iorque a Londres e vai parar em um planeta cujos habitantes são todos gigantes. Os tripulantes são conhecidos pelos gigantes como "Pequeninos" e passam por uma série de dificuldades, tendo que adaptar objetos de uso comum como clipes de papel e barbantes em armas. Não há nenhuma informação sobre a reprise atual deste programa.




segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Lendário Twisted Wheel vai fechar suas portas!


O lendário clube de Northern Soul, Twisted Wheel, vai fechar suas portas para dar lugar a um hotel!

É este o trágico fim de um dos maiores clubes de northern soul da história que Pete Roberts está tentando evitar. O promoter vem tentando lembrar da importância histórica e cultural do clube, que atualmente promove shows com artistas norte-americanos da soul music.

Roberts lembra da situação de outro lendário clube, o Cavern Club, onde inúmeros artistas, inclusive os Beatles fizeram suas primeiras apresentações e que, mesmo após sua demolição em 1973, foi construído novamente em outro lugar. Em contrapartida, Stephen Hodder, o presidente da firma de arquitetura contratada pela rede hoteleira que pretende ali se instalar, alega que a importância histórica está sendo levada em conta e que pretendem homenagear o clube com uma placa em reconhecimento pelo Twisted Wheel (!!!).

O Twisted Wheel abriu suas portas em 1961 na cidade de Manchester, sendo reaberto dois anos depois onde atualmente se encontra, na Brazenose Street e fechou em 1971. Durante os anos 2000, o clube reabriu suas portas, porém com nova direção e novas propostas musicais e de público.

Para mais informações, acesse o site da Manchester Confidential.

Liks recuperados - Lista 2

Olá, queridos!!

Os dias tem sido muito ocupados e eu fiquei meio sem tempo de atualizar as coisas para vocês, mas nesta semana volto com a frequência normal de atualizações.

  • Nuggets Vol 1. - The Hits: aqui
  • Nuggets Vol 2. - Punk: aqui
  • Nuggets Vol 3. - Pop: aqui
  • Nuggets Vol 4. - Pop (part two): aqui
  • Nuggets Vol 5. - Pop (part three): aqui
  • Nuggets Vol 6. - Punk (part two): aqui

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

And now...um recado dos nossos patrocinadores - 7Up

Sou muito entusiasta das propagandas da 7Up mesmo não tendo lá muita ideia do gosto do refrigerante. Eram propagandas criativas e juvenis, a cara dos anos 60. A 7Up fazia em seus comerciais o que a Coca-Cola faz hoje, só que há mais de 40 anos atrás com o mérito de você assistir aos comerciais e ainda se identificar e reconhecer tudo aquilo que a propaganda tem para te dizer. Vitalidade, hein?

The Small Faces - BBC Sessions 1965-1968

Durante a década de 1960 eram inúmeras as bandas de rock que faziam sucesso, e o público jovem era ávido consumidor de toda esta novidade. Porém, ao contrário do que se possa imaginar as rádios locais na Grã-Bretanha raramente tocavam estas músicas durante sua programação diária.


Quem teve a oportunidade de assistir o filme The Boat That Rocked lançado em 2009 (que aliás, é um filme engraçadíssimo) sabe que a rádio BBC de Londres tocava apenas 45 minutos diários de música popular, o que levou a criação de rádios piratas (vou falar mais sobre isto nos posts desta semana).

Porém, é mérito da BBC ter lançado a BBC Sessions, também conhecida como Live at BBC, At BBC, entre outros nomes. Durante muitos anos a BBC chamou artistas dos mais variados gêneros para participarem de shows ao vivo na rádio, com entrevistas e performances ao vivo, cujo resultado foram compilações que muitas vezes fazem parte da discografia oficial da banda.

Esta semana trago para vocês a compilação do The Small Faces, que traz ótimas versões ao vivo com entrevistas e bate-papo com a banda (Lembrando que neste download infelizmente NÃO constam as entrevistas). Imperdível!


The Small Faces - BBC Sessions 1965-1968


01. What'cha Gonna Do About It
02. Jump Back
03. baby Don't You Do It
04. Shake
05. Sha-La-La-Lee
06. You Need Loving
07. Hey Girl
08. E Too D
09. One Night Stand
10. You'd Better Believe It
11. Understanding
12. All Or Nothing
13. If I Were A Carpenter
14. Lazy Sunday
15. Every Little Bit Hurts

download

Espero que tenham gostado! Mantenham a fé!!