quarta-feira, 17 de abril de 2013

Sonoridades #3

Alright, mates! Bom, hoje vou falar sobre uma marca de instrumentos que compete com a Vox no quesito de bizarrices: a Danelectro.  Fundada nos EUA em 1947 por Nathan Daniel, originalmente era apenas uma fábrica que construía e montava produtos de outras marcas (a Vox atualmente, por exemplo, não utiliza uma fábrica própria para construir seus amplificadores custom, são feitos em várias fábricas diferentes na China ou Korea).

Contudo, no começo da década de 1950 a empresa resolveu começar a fabricar seus próprios instrumentos e show de designs estranhos foi iniciado. Nathan desejava que seus instrumentos fossem de baixo custo para o consumidor, para ser utilizado por estudantes, mas a peculiaridade na construção e os materiais usados tornaram os produtos Danelectro um ícone de peculiaridade e som único.

Page e Danelectro DC59.
Fonte: Dolphin Music.

A madeira utilizada era sempre a mais barata (atualmente utilizam MDF) e os instrumentos não são sólidos, nem semiacústicos: são ocos. Como acabamento, utilizam vinil, verniz e courvin nas laterais. O mais interessante dos produtos da marca são os captadores, únicos, vagabundos, maravilhosos, diz a lenda que a primeira leva de guitarras Danelectro possuíam cápsulas de batom como parte externa de um captador, tanto que até hoje o nome singular para este modelo de captação é chamado de Lipstick.

Agora, quem gostaria de usar uma guitarra vendida em lojas de móveis? Jimmy Page, Pete Townshend, John Entwistle, Syd Barret e vários outros. Mas por quê? Simples, é raro músicos de início de carreira ter muito dinheiro, eles gastavam pouco com um instrumento que possuía um som extraordinário. Mesmo depois de terem um poder aquisitivo maior, muitos deles continuaram adeptos ao som da Danelectro.

John Entwistle e seu baixo Longhorn Danelectro.
Fonte: acervo pessoal.

Aqui no Brasil a fábrica é mais famosa pelos seus pedais, enquanto que as guitarras são raras, algumas são encontradas no mercado livre por um preço absurdamente caro (valor entre R$ 2000,00 a R$ 3.500,00).

Existem amantes contemporâneos da marca, Paul Weller declarou à revista Guitar World em 2012 que seu álbum Sonik Kicks tinha sido quase totalmente gravado com uma guitarra Danelectro por ser versátil e “ter um design extraterrestre do tipo anos 1950”, confira aqui.  Júpiter Maçã, que está mais parecendo o Mr. Frog, usa uma guitarra Danelectro em seus shows e videoclipes.


Júpiter e sua Danelectro U2 no Rock in Rio 2011.
Fonte: O Globo.


Para saber mais dos produtos Danelectro, modelos e história, você pode clicar aqui e aqui.

Se quer conferir um vídeo sessentista e ver Syd Barret do Pink Floyd usando uma danelectro, clique aqui.



Continuem acompanhando o Sonoridades e até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mesmo com a moderação de comentários, use seu bom senso. Caro (a) anônimo (a), por favor, identifique-se no comentário!