quarta-feira, 15 de maio de 2013

The Hives: Dia da mentira, show de verdade

Finalmente, eis aqui o tão esperado post sobre o show do The Hives que rolou há (cof cof), mais de um mês aqui em PoA. 

Bem, o que dizer? Sou suspeita para falar, mas os caras são simplesmente fantásticos. 

Mesmo com os 15 minutos de atraso (pontualidade não é algo digno de todos os europeus) e com uma banda de abertura sobre a qual eu prefiro não comentar, os suecos fizeram um show enérgico, catimbado e violento. Tudo no bom sentido, é claro. 

 Devo falar que o vocalista, Pelle Almqvist tenta falar o nome dele três vezes, bem rápido e o guitarrista Nicholaus Almqvist são irmãos? são um show a parte. Mesmo parecendo que estavam ligados numa tomada de mais 220 volts, foram simpáticos cuspidores de palhetas, cerveja e água e interagiram ao máximo com os fãs. O tempo todo. Durante todo o show.

O jeito que a foto tá enquadrada não nega a minha localização - atrás da cabine de som.


"Bem, na escola, quando perguntam a vocês qual é a temperatura da crosta terrestre, qual é a resposta? The Hiiiiiives!"

É, acho que já deu para vocês sacarem.

O show que faz o seu cérebro derreter e escorrer pelo nariz.
E mesmo com os chacoalhos, elegância é uma característica a parte. Como eu já havia falado no post sobre os "uniformes" deles - a elegância da cartola e fraque (que eles usam na turnê atual) é algo sensacional. O ritmo acelerado e a energia do show faz com eles suem muito e logo se desfaçam das peças, mas só de pensar no fato de que são roupas pensadas para o estado em que a banda se encontra em cada momento, nos faz ver que criatividade é o que eles tem de sobra.


Às vezes, eu esqueço de passar o filme da câmera adiante, e as fotos saem com dupla exposição.


O show foi aberto com qualquer música do mais atual álbum (que, aliás, eu não conheço, podem atirar os tomates). Mas a platéia do Opinião - lugar onde o show aconteceu aqui em Porto Alegre - ferveu quando eles tocaram Main Offender, do Veni Vidi Vicious, que já tem lá seus 13 anos de lançamento. Logo outros hits eternos foram tocados: Walk, idiot, walk, Hate to say I told you so e Tick Tick Boom - que foi a música de encerramento do show.


Eu, que tive que ficar o tempo todo espremidinha atrás da cabine de som, munida das minhas câmeras lomográficas, consegui registrar um pouco do show através destas fotos malucas que vocês estão vendo.




O vocalista Pelle, com duas fãs, do lado de fora do Opinião

E, logo após o encerramento do show, do lado de fora, eles saíram do camarim para tirar fotos com os fãs. Não são uns fofos?

Consegui registrar o vocalista com estas duas meninas aí. E, até consegui agarrar o Nicholaus para tirar uma foto comigo, porém, o fotógrafo foi tão maneta que só saiu a minha testa.


Tchau, e voltem logo. Por favor!
Voltei para casa cansada, suada, feliz e, mais ainda, com a certeza de poder dizer que assisti a mais um show épico na minha vida.

Vou dizer o quê? Foi fodástico...

Fotos: Penny Lane

4 comentários:

  1. Os vi em 2007 em São Paulo e foi o melhor show da vida! E olha que já assisti a alguns grandes do rock...

    Valeu por fazer o post mostrando um pouquinho de como foi a sua experiência de vê-los.

    Um beijo,

    Mateus.

    ResponderExcluir
  2. Sim, sim, SIM! Definitivamente entraram para o hall of fame de um dos melhores shows da minha vida! Os caras se puxam muuuuito e fazem um show para jamais esquecer.

    Obrigada a você, seu lindo por sempre ler e (quase) sempre comentar no blog.

    Mil beijos

    ResponderExcluir

Mesmo com a moderação de comentários, use seu bom senso. Caro (a) anônimo (a), por favor, identifique-se no comentário!